EFE | Washington

O Grupo dos 20 (G20, países ricos e emergentes) ressaltou nesta sexta-feira que o "fortalecimento" de algumas economias-chave reduziu os riscos globais, mas advertiu sobre os problemas derivados da "volatilidade nas taxas de câmbio e um prolongado período de baixa inflação".

Em comunicado divulgado após sua tradicional assembleia ministerial, o G20 recomendou que, "diante de um panorama de divergentes políticas monetárias e alta da volatilidade financeira, as políticas devem estar cuidadosamente calibradas e claramente comunicadas para minimizar contágios".

O vice-primeiro-ministro turco, Ali Babacan, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, em Washington. EFE/EPA/Pete Marovich
O vice-primeiro-ministro turco, Ali Babacan, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, em Washington. EFE/EPA/Pete Marovich

A reunião do G20, cuja presidência temporária é ocupada neste ano pela Turquia, foi realizada, como habitualmente, paralelamente à reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial (BM), em Washington.

Concretamente, o vice-primeiro-ministro turco, Ali Babacan, se referiu ao esperado aumento da taxas de juros por parte do Federal Reserve (Fed, banco central americano), que os analistas situam para o final deste ano perante a recuperação da economia americana.

"Acho que há um amplo consenso de que o Fed está fazendo um muito bom trabalho na hora de comunicar quais poderiam ser suas políticas futuras", explicou Babacan aos jornalistas, depois da foto oficial do G20.

Babacan ressaltou que a comunicação por parte do Fed é "importante não só para os Estados Unidos, mas para o resto do mundo".

Nos últimos meses, o dólar se valorizou de maneira notável em relação a outras moedas, como o euro e o iene, após o anúncio dos bancos centrais da zona do euro e do Japão sobre o lançamento de multimilionários programas de injeção de liquidez, e a prevista alta de juros nos EUA.

Curiosamente, um dos temas candentes da reunião, a crise grega e a possibilidade da saída da Grécia do euro, não esteve entre os pontos da agenda oficial do G20, segundo Babacan, que, no entanto, reconheceu que este assunto tinha sido tratado nos encontros bilaterais realizados no marco do encontro.

Publicidad