EFE | Rio de Janeiro

O Brasil acumulou nos últimos doze meses, até fevereiro, uma inflação de 7,7%, o maior índice registrado nos últimos dez anos, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Brasil não registrava uma inflação anualizada tão elevada desde a taxa de 8,05% medida entre junho de 2004 e maio de 2005.

Cidadãos efectuam o pagamento num supermercado. EFE/Arquivo
Cidadãos efectuam o pagamento num supermercado. EFE/Arquivo

O resultado de fevereiro contribuiu para a alta, quando a inflação foi de 1,22%, ligeiramente inferior ao índice de 1,24% medido em janeiro mas quase o dobro de 0,69% registrado no mesmo mês do ano passado.

A alta de preços de fevereiro foi a maior para o segundo mês do ano desde 2003, quando ficou em 1,57%.

A inflação acumulada no primeiro bimestre de 2015 chegou a 2,48%, o dobro da medida nos dois primeiros meses do ano passado (1,24%).

A taxa acumulada nos dois meses de 2015 é mais da metade da meta de 4,5% estabelecida pelo o governo para todo o ano, embora o Ministério da Fazenda trabalhe com uma margem de tolerância de dois pontos percentuais, o que permite que a inflação chegue a um máximo de 6,5%.

O país terminou 2014 com uma inflação de 6,41%, acima do dado de 2013 (5,91%) mas abaixo do teto máximo tolerado pelo governo.

Para este ano os economistas do mercado financeiro projetam uma inflação de 7,47%, quase um ponto percentual acima do teto máximo admitido pelo governo.

Os analistas consideram que o índice apenas começará a ceder em 2016, para quando preveem uma alta dos preços de 5,50%.

Publicidad