EFEBuenos Aires

A Argentina registrou nesta segunda-feira 13.667 novos casos de coronavírus, o que fez o total no país vizinho desde o começo da pandemia subir para 2.407.159, enquanto o número de mortes por Covid-19 chegou a 56.471, com 272 óbitos confirmados nas últimas 24 horas, o maior desde o começo de fevereiro.

Segundo o Ministério da Saúde, houve 3.712 contágios a mais que ontem, o que confirma a chegada de uma segunda onda de infecções em território argentino.

Buenos Aires registrou 2.428 casos nas últimas horas, um recorde desde o começo da pandemia, enquanto em outras cidades da província homônima à capital houve 6.243 positivos.

As autoridades argentinas aumentaram as restrições e recomendações sanitárias devido ao aumento do número de contágios por vários dias, mas a longa atividade turística de feriado de Semana Santa foi permitida.

Na Argentina, 2.153.509 pessoas se recuperaram da infecção, enquanto 3.652 pacientes com diagnóstico confirmado de covid-19 permanecem em unidades de terapia intensiva. A porcentagem de ocupação de leitos de UTI para todos os tipos de patologias é de 56,1% a nível nacional, mas de 62% se for considerada apenas a região metropolitana de Buenos Aires.

Diante da chegada da segunda onda, o governo argentino decidiu priorizar a vacinação da primeira dose e aplicar a segunda apenas três meses depois, seja qual for o fornecedor do imunizante.

A Argentina iniciou a campanha de vacinação a Covid-19 no final de dezembro e já recebeu 7.266.500 doses. Até agora 5.893.445 doses foram aplicadas, e 684.385 pessoas já tomaram duas injeções, completando o processo de imunização.