EFESão Paulo

A Micro Focus, maior empresa de software do Reino Unido e a segunda da Europa, reforçou a aposta no Brasil ao integrá-lo neste mês à divisão de mercados emergentes, um dos mais destacados da empresa e responsável por 18% do faturamento anual.

"Vemos uma possibilidade de poder crescer muito no mercado no Brasil. A economia está começando a se recuperar e temos grande confiança no mercado local, que acreditamos ter potencial de crescimento de mais de 20% em 2020", explicou em entrevista à Agência Efe o vice-presidente de Mercados Emergentes da Micro Focus, Gonzalo Usandizaga.

PLANOS PARA O BRASIL

Segundo Usandizaga, que também é gerente-geral da área, formada por cerca de 90 países, os escritórios no Brasil, inaugurados em 2009, poderão ter acesso a mais recursos da matriz para alavancar negócios, que terão como principal foco as empresas que atuam como parceiras e no desenvolvimento de soluções de cibersegurança, proteção de dados e transformação digital.

"O país mais importante que temos na região é a Rússia, o segundo é o conjunto do Oriente Médio (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Catar), seguido do Sul da África e do Brasil. Acredito que há muitas ações e iniciativas que foram tomadas nesses países que são replicáveis no mercado brasileiro porque há muitas similaridades", explicou.

Usandizaga também destacou que o plano para o Brasil em 2020 é crescer entre 20% e 25% em recursos, sobretudo na parte técnica, de pré-venda e organização de vendas.

"Mercados Emergentes é a região que mais cresce dentro da Micro Focus porque os mercados estão crescendo de forma importante", completou o vice-presidente da empresa.

Atualmente, o Brasil é responsável por entre 1% e 3% do faturamento global da Micro Focus, que é de cerca de US$ 4 bilhões. No país, a empresa conta com uma equipe de 65 funcionários, 105 parceiros e mais de 1,8 mil clientes, entre eles Santander, Banco do Brasil e Bradesco.

INOVAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS

Usandizaga também enfatizou a aposta da sétima maior companhia de software do mundo na inovação e no desenvolvimento de novas tecnologias para alavancar o crescimento dos negócios da Micro Focus em nível global.

"Nós investimos entre 5% e 10% de nossa receita em inovação e desenvolvimento. Dos cerca de 15 mil empregados que temos, 6 mil trabalham exclusivamente nos laboratórios para desenvolver novas tecnologias", detalhou o executivo.

Entre as novidades que estão sendo trabalhadas pela Micro Focus, Usandizaga antecipou que a empresa está voltando seus esforços para incorporar dados das ferramentas analíticas para convertê-los em "valor" para os clientes.

"Estamos desenvolvendo novas funcionalidades e versões que permitirão que todo nosso portfólio de software tenha ferramentas analíticas incorporadas. E estamos desenvolvendo novas versões nas quais a interface será mais amigável", destacou.

CRESCIMENTO EM ESCALA GLOBAL

Em 2008, a Micro Focus tinha um faturamento de US$ 140 milhões, que saltou para US$ 4 bilhões em 2019, um salto pouco comum para as empresas de software e que deve não só ao seu crescimento orgânico, mas também à aquisição de novas empresas para expandir o negócio em escala global.

"A Micro Focus nos últimos anos comprou 12 companhias, incluindo todos os ativos da HP Software, que havia comprado nos últimos anos cerca de 40 empresas. (...) É um crescimento não orgânico que é parte da nossa identidade", ressaltou o executivo.