EFELa Paz

Um tribunal da Bolívia determinou nesta segunda-feira a prisão preventiva de Pedro Montenegro, procurado no Brasil por tráfico de drogas desde 2015.

Montenegro se entregou às autoridades da Bolívia no sábado. Em audiência cautelar realizada em Santa Cruz de la Sierra, a juíza Marianela Salazar determinou que ele seja enviado para a prisão de Palmasola, a maior e a mais problemática do país.

Segundo promotor Iván Quintanilla, o boliviano foi acusado pelos crimes de falsidade ideológica e de uso de documento falso. O Ministério Público ainda vai abrir outro processo contra Montenegro por legitimação de lucros ilícitos e tráfico de drogas.

Montenegro se entregou em Santa Cruz de la Sierra, e a prisão foi anunciada pelo ministro de Governo da Bolívia, Carlos Romero, acompanhado pelo comandante da Polícia Boliviana, Yuri Calderón.

As autoridades do país afirmaram que a decisão de Montenegro faz parte de uma operação de grande escala para desarticular um grupo de traficantes que atuava na Colômbia, no Brasil e no Paraná.

Montenegro era alvo de uma ordem de captura internacional e vivia com identidade falsa na Bolívia desde 2009. No Brasil, ele é procurado pelo envio de mais de 1 tonelada de drogas para a Europa.

Comandantes da Polícia Boliviana foram acusados de descumprir a ordem de prisão da Interpol, provocando uma grande reestruturação do órgão nas últimas semanas. Alguns deles foram formalmente acusados pelo Ministério Público e responderão pelas ações na Justiça.

O narcotraficante chegou a ser condecorado por integrantes da polícia em Santa Cruz de la Sierra e aparecia em fotos tiradas em uma viagem com vários desses processados.

O chanceler da Bolívia, Diego Pary, disse que o país ainda não recebeu um pedido formal de extradição de Montenegro por parte do Brasil.