O armador Marcelinho Huertas, do Lenovo Tenerife, celebrou a conquista do Troféu Efe de melhor jogador latino-americano do Campeonato Espanhol masculino de basquete e garantiu ter "fome" para seguir atuando em alto nível.

O ex-Los Angeles Lakers recebeu o troféu das mãos do diretor de esportes da Agência Efe, Luis Villarejo, em cerimônia realizada nesta quarta-feira em Tenerife.

Este foi o segundo ano consecutivo que Huertas, de 38 anos, é premiado como o melhor latino-americano da chamada Liga ACB, justamente, na segunda temporada no Tenerife, clube em que afirmou se sentir "como em casa".

"Foram dois anos muito bons, mas é difícil dizer que sejam os dois melhores da minha carreira. O que posso garantir é que me encaixei com perfeição nesta ilha", disse o brasileiro, sobre a região onde está sediada da equipe.

O armador destacou que o objetivo que tem pela frente é "seguir tendo ambição para encarar os desafios como algo apaixonante", o que afirmou ser algo compartilhado com os demais companheiros do Lenovo Tenerife, que caiu nas semifinais da edição passada da liga.

"Não sabemos qual é o limite, mas demonstramos que vamos lutar sempre e incomodar os grandes. E se tivermos chances de brigar por títulos, o faremos", prometeu Huertas.

O primeiro desafio do armador após receber o prêmio será a disputa da Supercopa Espanhola, em que o Tenerife encarará nas semifinais o Real Madrid.

Sobre a vitória no Troféu Efe pela segunda vez e pela experiência na liga, o brasileiro admite que sente que poderá se uma referência para todos os jogadores latinos que chegam ao basquete espanhol.

"As pessoas que estão mais anos em um local, têm esse papel. São pessoas que se transformam em espelhos. Quem sabe, eu possa sê-lo. Mas, cabe a eles dizerem isso", disse.

Após receber o prêmio, Huertas ouviu uma mensagem de familiares, que classificou como um pilar fundamental para ele, pelo "apoio constante nos momentos mais difíceis" da carreira. EFE

ip/bg