EFERio de Janeiro

A Petrobras arrematou duas das quatro áreas oferecidas na Rodada de Licitações do Excedente da Cessão Onerosa - uma delas em consórcio composto também pelas chinesas CNODC Brasil e CNOOC Petroleum, o maior leilão do pré-sal já realizado no país.

Pelo bloco de Búzios, o pagamento em bônus de assinatura é de R$ 68,194 bilhões, com 5% de participação de cada companhia da China. O governo ficará com 23,24% das receitas obtidas com a venda do petróleo extraído do local, quantidade mínima exigida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Pelo bloco de Itapu, também da Bacia de Santos, que está no litoral do Rio de Janeiro, a Petrobras fez arremate sozinho, em R$ 1,766 bilhão, com oferta 18,15% do que for extraído. Não houve interessados nos blocos de Sépia e Atapu.

O bloco de Búzios, com 54 poços já perfurados, é o único que se encontra produtivo atualmente, com rendimento de 424 mil barris diários de petróleo, por isso, era considerado o mais atrativo nessa rodada de leilão.

Com base nos direitos de preferências outorgados pela lei, a Petrobras será o operador dos blocos, sendo responsável pela condução e execução de todas as atividades desenvolvidas.

Além da companhia brasileira e das chinesas CNODC e CNOOC, estava prevista a participação da inglesa Shell, das americanas Chevron e ExxonMobil, da colombiana Ecopetrol, da catariana QPI, da alemã Wintershall DEA, a malaia Petronas, a norueguesa Equinor e a portuguesa Petrogal, mas nenhuma apresentou oferta.