EFESão Paulo

Uma startup de tecnologia assistiva, que facilita a inclusão de estudantes com problemas auditivos em salas de aula, e uma plataforma que ajuda a transformar vídeos em valor real para as empresas são dois dos projetos reconhecidos pelo Santander na nova edição dos prêmios Empreenda.

A iniciativa neste ano teve 4.700 inscritos e premiou as melhores propostas de três categorias: Universitário Empreendedor, Universidade & Microempreendedor e Startup.

Bruno Costa Candia, estudante do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), foi o ganhador na categoria Universitário Empreendedor.

Com o uso de tecnologia assistiva, a plataforma permite criar textos e legendas em tempo real, utilizando o reconhecimento de voz do professor, o que facilita a aprendizagem dos alunos com problemas auditivos, sem a necessidade de haver um intérprete dentro da sala de aula.

"Foram muitos dias de trabalho, muitos meses e até anos. Isso para mim fará uma diferença grande, porque me ajudará a crescer como pessoa, como profissional e empreendedor", disse Bruno Costa depois de ganhar o prêmio, que inclui um aporte financeiro de R$ 30 mil, uma bolsa de estudos e mentoria realizada pela ACE.

Na categoria startup, a vencedora foi a Netshow.me, idealizada por Rafael Belmonte, que tem como principal proposta a criação e a sustentação de negócios através de vídeos online e foi criada há seis anos.

A iniciativa oferece soluções em formato PaaS (Plataforma como Serviço), que vão desde tecnologias para organizar conteúdos digitais, como vídeos, lives e podcasts, até uma rede de profissionais registrados para atender demandas nacionais e internacionais de captação e produções para transmissões ao vivo.

"Temos grandes expectativas, principalmente para nos ajudar com vários desafios em nosso crescimento", disse o responsável pelo projeto, quem recebeu um prêmio no valor de R$ 100 mil, além de uma bolsa de estudo e uma mentoria realizada pela Endeavor, uma organização global sem fins lucrativos cuja missão é apoiar empreendedores e acelerar o crescimento nas empresas.

O projeto liderado por Karina Dias, da Unifacisa, foi o premiado na categoria Universidade & Microempreendedor, que tem como objetivo aproveitar o conhecimento de uma universidade para alavancar negócios de microempreendedores.

Karina Dias orientou a microempreendedora Erika do Nascimento a impulsionar seu negócio de confecção de roupas plus size, em Sapé, uma cidade no interior da Paraíba.

"Para mim, é uma questão de auto-estima, de superação. O reconhecimento e o fato de poder participar do prêmio foi maravilhoso. Só posso agradecer ao Santander e à Unifacisa por isso", contou Erika do Nascimento.

A microempreendedora receberá um aporte financeiro de R$ 5 mil reais e uma mentoria tanto da Aliança Empreendedora como da universidade, que receberá R$ 15 mil para operacionalizar a capacitação.

Durante a cerimônia de premiação, que aconteceu na noite desta terça-feira, o presidente do Santander Brasil, Sergio Rial, destacou o papel do banco na promoção do empreendedorismo e da educação no país e aproveitou para incentivar todos os participantes do evento.

"Os ganhadores absolutamente abraçaram o risco e fizeram de esse risco uma mola de transformação das suas vidas. Sem risco inteligente, não há progresso", afirmou.