Lipoescultura e expansão de células-tronco representam uma alternativa valiosa para os implantes de seioExpansão de células-tronco autólogas derivadas de tecido adiposo (ADSCs na sigla em inglês) evita a reabsorção de gordura, permitindo a manutenção de resultados obtidos após o enxerto de gorduraResultados de 4 anos de acompanhamento da abordagem de modelagem do corpo da Liposkill Plus do Bioscience Institute apresentada em Las Vegas

PR Newswire

LAS VEGAS, 19 de dezembro de 2018

LAS VEGAS, 19 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A facilidade da disponibilidade de tecidos de doadores, a falta de cicatrizes, períodos curtos de recuperação: várias vantagens tornaram a lipoescultura uma técnica promissora para o aumento de seios, correção de assimetria e reconstrução, mas a reabsorção de gordura pode limitar severamente os resultados. Atualmente, uma abordagem baseada na injeção de células-tronco derivadas de tecido adiposo (ADSCs) permite manter o volume do seios obtido após o enxerto de gordura. As evidências inéditas das vantagens das ADSCs foram apresentadas no 16o Encontro Anual da IFATS organizado pela Federação Internacional de Terapêutica e Ciência do Tecido Adiposo em Las Vegas (EUA), onde o Bioscience Institute demonstrou os resultados de 4 anos de acompanhamento de pacientes sujeitas ao implante de ADSCs autólogas expandidas para o aumento de seios.

A análise da ressonância magnética do volume do seio foi realizada sob a supervisão médica de Roberto Viel, diretor-médico do Bioscience Institute, antes e 4 anos após o tratamento com ADSCs, revelando que a injeção apropriada permite manter 100% do volume obtido com o enxerto de gordura. Com o crescimento do índice de massa corporal (IMC) da paciente, ocorreu também o aumento do volume total do seio, atingindo de 109 a 135% do volume total do seio obtido com injeção de gordura, demonstrando que o enxerto de gordura age como gordura em outras partes do organismo.

Tais resultados se tornaram possíveis devido à Liposkill Plus, uma abordagem da modelagem do corpo baseada na expansão de ADSCs autólogas a serem injetadas no seio da paciente para a obtenção de um objetivo estético duplo: o aprimoramento do volume do seio sem implantes e eventualmente a remoção da gordura de depósitos indesejados (por exemplo, no abdômen e nas coxas). A expansão das ADSCs é fundamental para resultados duradouros, permitindo obter a dose mínima exata de células para injeção (100-150 mil células/ml. de gordura para um volume entre 400 a 800 ml.). «A expansão das células é a única tecnologia disponível para a obtenção da proporção correta entre células e gordura», explicouGiuseppe Mucci, CEO do Bioscience Institute. «Os resultados são totalmente naturais, tanto ao toque como esteticamente, sendo também possível remodelar outras partes do corpo, como os glúteos. Além disso, algumas ADSCs podem ser criopreservadas, possibilitando outros usos no futuro, tal como o tratamento do envelhecimento da pele. Com tais características, a Liposkill Plus representa uma alternativa valiosa para a cirurgia de aumento de seios.»

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/799441/Bioscience_Institute_SPA_Logo.jpg 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/799442/Bioscience_Institute_SPA.jpg 

FONTE Bioscience Institute S.P.A