Membros da ação coletiva receberão notificação sobre uma ação coletiva certificada pendente contra o The GEO Group relativa a alegações de trabalho forçado e não remuneradoPR Newswire

AURORA, Colorado, 21 de outubro de 2019

AURORA, Colorado, 21 de outubro de 2019 /PRNewswire/ -- A informação abaixo está sendo divulgada pela Rust Consulting, Inc. sobre a ação judicial Menocal v. The GEO Group, Inc., N.o 14-cv-02887 no Tribunal Federal de Recursos do Décimo Circuito.

A notificação será enviada hoje aos membros da ação coletiva certificada pendente contra o GEO Group, Inc. ("GEO"). O caso, Menocal v. The GEO Group, Inc., N.o 14-cv-02887, envolve queixas judiciais em nome de pessoas detidas em casos de imigração nas instalações da GEO no subúrbio de Denver, Aurora, Colorado ("Unidade de Aurora") entre 2004 e 2014. O processo alega que a GEO forçou as pessoas detidas pela Immigrations and Customs Enforcement ("ICE") na Unidade Aurora a limpar as áreas comuns de suas unidades habitacionais sob ameaça de passarem para o regime de isolamento. Alega também que a GEO se enriqueceu injustamente ao pagar aos detidos da ICE apenas um dólar por dia para realizar vários trabalhos necessários para que a unidade de Aurora funcionasse. A GEO nega todas as alegações da ação e afirma que cumpriu integralmente os seus contratos com a ICE e com todas as leis e regulamentações aplicáveis.

Em 9 de fevereiro de 2018, o Tribunal de Recursos do Décimo Circuito manteve a decisão do juiz John L. Kane, certificando duas ações coletivas. O tribunal decidiu apenas que os autores da ação podem prosseguir com o caso como um grupo. Não decidiu se a GEO violou a lei, e não há dinheiro ou outro benefício disponível para os membros da ação coletiva neste momento. O juiz Kane instruiu as partes a enviarem um aviso aos membros da ação coletiva para que eles possam ficar cientes do caso e decidir se devem permanecer como membros da ação. Essas decisões e outros documentos importantes do caso podem ser acessados em www.ColoradoForcedLaborLawsuit.com.

As duas ações coletivas certificadas são (1) uma ação coletiva por trabalho forçado e (2) uma ação por enriquecimento injusto. A ação por trabalhos forçados é composta de todas as pessoas detidas em casos de imigração civil que foram forçadas a realizar trabalho não remunerado para a GEO na Unidade de Detenção Aurora nos termos da política de Saneamento da Unidade de Habitação da GEO entre 22 de outubro de 2004 e 22 de outubro de 2014. A ação de enriquecimento injusto inclui todas as pessoas detidas em casos de imigração civil que realizaram trabalhos para a GEO na Unidade de Detenção Aurora no "Programa de Trabalho Voluntário para Detentos" entre 22 de outubro de 2011 e 22 de outubro de 2014. As pessoas detidas atualmente e os ex-detentos que se encaixam nessas definições são membros da ação coletiva, independentemente de seu status imigratório e de viverem ou não nos Estados Unidos atualmente.

Nesta fase do caso, os membros da ação coletiva devem decidir se querem permanecer na ação. Um membro da ação que não tomar nenhuma medida permanecerá como parte da ação. Isto significa que ele ou ela estará vinculado(a) a qualquer julgamento ou acordo futuro alcançado no caso e será elegível para qualquer reparação concedida aos membros da ação coletiva. Um membro da ação coletiva que não desejar ficar vinculado por um julgamento ou acordo futuro deverá optar por não participar da ação até 20 de janeiro de 2020. Informações completas sobre como optar por não participar da ação coletiva podem ser acessadas em www.ColoradoForcedLaborLawsuit.com.

Para obter mais informações, visite www.ColoradoForcedLaborLawsuit.com.

 

 

FONTE Rust Consulting, Inc.