EFEWashington

A Nasa deu nesta quarta-feira como perdido o robô Opportunity, que investigou a superfície de Marte durante 15 anos e que, entre suas descobertas mais importantes, encontrou os primeiros indícios de água no planeta.

Segundo os cientistas da agência espacial, o aparelho não sobreviveu a uma enorme tempestade de poeira ocorrida em junho do ano passado, quando a comunicação com ele foi completamente perdida.

"Portanto, estou de pé aqui com um profundo sentimento de gratidão por declarar que a missão do Opportunity está completa", disse Thomas Zurbuchen, administrador associado de ciência da Nasa, durante uma conferência pública.

Assim termina uma missão cuja longa duração foi completamente inesperada, pois o robô foi projetado inicialmente para resistir na superfície de Marte durante três meses, como lembrou o administrador da Nasa, Jim Bridenstine.

"O objetivo era poder se movimentar ao longo de vários quilômetros pela superfície de Marte e sobreviver por 90 dias. E ao invés disso, aqui estamos depois de mais de 14 anos", ressaltou Bridenstine, que está no cargo desde abril de 2018, após ser nomeado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

"Foram duas décadas de trabalho impressionante", avaliou Bridenstine, que também brincou com o fato de ter que fazer tal anúncio depois de assumir o cargo "há apenas um ano" e que, "como político, em breve encontrará um jeito de culpar alguém".

O Opportunity deu aos cientistas uma visão próxima de Marte que nunca antes observada: rochas dispostas em camadas que resistiram à erosão da água que supostamente fluiu em Marte há milhões de anos; um requisito prévio para as condições que permitem a possibilidade de vida.

Pelo fato de este aparelho e seu gêmeo Spirit, que se desligou em 2010, continuarem ativos por muito mais tempo do que o esperado, a Nasa teve uma presença robótica contínua em Marte durante mais de 15 anos.

Mas ontem à noite o centro de controle da agência fez uma última tentativa de comunicação com o Opportunity e não recebeu nenhuma resposta, o que foi considerado como o sinal definitivo para dar como concluída a extensa e imprevista missão espacial.