EFERedação Central

A Fifa confirmou nesta sexta-feira o banimento do futebol do ex-presidente da federação do Haiti (FHF), Yves Jean-Bart, acusado de abusar sexualmente de várias jogadoras, inclusive, menores de idade.

A decisão foi tomada pela Comissão de Ética Independente, que considerou o dirigente, que já fez parte do quadro executivo da entidade internacional, culpado por violação do Código Ético da Fifa.

Além do banimento de qualquer atividade relacionada ao futebol, Jean-Bart ainda terá que pagar multa de 1 milhão de francos suíços (R$ 5,8 milhões).

A Comissão de Ética indicou que o dirigente haitiano violou as normas referentes a proteção da integridade física e mental e abuso de posição.

A Fifa lembrou que foi feita uma investigação extensiva sobre Jean-Bart e outros funcionários da FHF, que foram identificados como supostamente envolvidos (como autores, cúmplices ou instigadores) em atos de abuso sexual sistemático contra jogadoras entre 2014 e 2020.

A própria entidade internacional indicou que ainda há processos abertos sobre outros funcionários da Federação Haitiana de Futebol.