EFELos Angeles (EUA)

Autoridades do condado de Ventura, no estado da Califórnia (EUA) anunciaram nesta segunda-feira a morte de Naya Rivera, após o corpo da atriz ser encontrado no lago onde ela havia desaparecido na última quarta quando fazia um passeio de barco com o filho de 4 anos.

O xerife do condado, Bill Ayub, confirmou em entrevista coletiva que o corpo achado durante a manhã pelas equipes que trabalhavam nas buscas é o da atriz, "de acordo com o local onde foi encontrado e as características físicas".

O corpo estava boiando, sem colete salva-vidas, e as evidências de um ato criminoso ou suicídio foram descartadas, de modo que a hipótese principal para a morte continua sendo a de um acidente Este foi o sexto dia de buscas por Rivera, famosa pela participação na série de televisão "Glee" no papel da líder de torcida Santana Lopez.

BARCO DE ALUGUEL.

Rivera alugou um barco de lazer com o filho de 4 anos no início da tarde da última quarta-feira para passearem pelo lago. Algumas horas depois, um segundo barco localizou o menino sozinho na embarcação, dormindo e com um colete salva-vidas.

A partir daquele momento, foi feita uma ligação de emergência, após a qual mais de 80 profissionais passaram a tentar resgatar o corpo da atriz em uma operação na qual foram utilizados mergulhadores, drones e um sonar de varredura, devido à baixa visibilidade das águas do lago.

Embora as causas do afogamento de Rivera sejam desconhecidas, a polícia tem o testemunho do menino, que contou que viu a mãe nadar sem colete.

No barco, foi encontrado um colete salva-vidas de tamanho adulto não usado, e as câmeras de segurança do Lago Piru registraram o momento em que mãe e filho entraram no barco.

"Ela tinha experiência navegando neste lago", disse um sargento do condado poucos dias atrás.

O lago onde Rivera desapareceu fica na Floresta Nacional de Los Padres, uma área recreativa popular a 90 quilômetros de Los Angeles, e é frequentado por muitos visitantes que velejam, praticam esportes aquáticos e acampam.

Entretanto, a vegetação e a profundidade das águas dificultaram o trabalho de buscas e impossibilitaram os mergulhadores de trabalhar à noite.

Javier Romualdo.