EFETóquio

Rebeca Andrade conquistou nesta quinta-feira a medalha de prata na final da prova individual geral da ginástica artística nos Jogos de Tóquio, conseguindo assim, de quebra, o primeiro pódio olímpico de uma brasileira na história da modalidade.

Sensação nos primeiros dias de disputa, a paulista voltou a empolgar com a apresentação no solo, ao som de "Baile de Favela", funk composto pelo MC João, mas pequenos erros de execução acabaram custando o ouro, que ficou com a americana Sunisa Lee.

O ouro ficou com a americana Sunisa Lee, e o bronze, com a russa Angelina Melnikova.

A final aconteceu na Arena Ariake sob os olhares da americana Simone Biles, que chegou à capital japonesa como campeã da prova no Rio de Janeiro, em 2016, mas desistiu dessa disputa e também da decisão por equipes com o objetivo de "priorizar a saúde mental", o que provocou uma grande repercussão no mundo do esporte.

BRILHO DESDE O INÍCIO.

Hoje, a brasileira começou a participação na final do individual geral no salto, aparelho em que obteve a terceira melhor nota nas eliminatórias. Com nota 15.300, Rebeca assumiu a liderança na primeira rotação, pouco à frente da americana Jade Carey.

Na sequência, a paulista, que é atleta do Flamengo, se apresentou nas barras assimétricas e melhorou o desempenho na comparação com domingo, alcançando nota 14,666, que arrancou aplausos até de Simone Biles e outras atletas que estavam nas arquibancadas.

Na trave, aparelho em que não tem o mesmo rendimento que os demais, Rebeca Andrade conseguiu 13,566, um pouco abaixo das especialistas. A comissão brasileira, no entanto, pediu a revisão na nota de partida e teve sucesso, com a marca aumentando em um décimo.

Com isso, a ginasta paulista ficou na segunda posição no geral, atrás apenas da americana Sunisa Lee e se mantendo firme na luta para subir ao pódio.

Por fim, a brasileira foi para o solo, embalada por uma adaptação do funk "Baile de Favela", composta originalmente pelo MC João. No entanto, a apresentação ocorreu com algumas falhas de execução que tiraram alguns pontos preciosos.

A nota 13,666, apesar de não ser a ideal para uma das favoritas, foi muito comemorada por Rebeca e valeu a terceira medalha de prata do Brasil nesta edição dos Jogos Olímpicos. Além disso, o país obteve até aqui um ouro e outros três bronzes.