EFEGenebra

O diretor de emergências sanitárias da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, ressaltou que o resultado positivo do presidente Jair Bolsonaro para a Covid-19 demonstra que "ninguém é especial, estamos todos potencialmente expostos e somos igualmente vulneráveis".

"Desejamos a ele uma recuperação rápida e completa, (o Brasil) enfrenta difíceis momentos, embora os números tenham se estabilizado nos últimos dias", comentou o especialista irlandês, ao recordar que Bolsonaro não é o primeiro líder político a ser afetado pela doença.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, disse esperar que Bolsonaro tenha sintomas leves e possa retornar ao trabalho logo, mas destacou que "é importante entender a gravidade deste vírus e perceber que nenhum país está imune".

Adhanom enfatizou que a situação é preocupante não apenas no Brasil, "mas em toda a América Latina, onde os casos e as mortes continuam aumentando, assim como na América do Norte", colocando o Canadá como exceção devido à menor incidência do coronavírus SARS-CoV-2 no país.