EFERio de Janeiro

Depois que o Palmeiras bateu o Grêmio por 1 a 0 em Porto Alegre ontem e que o Boca Juniors massacrou a LDU de Quito no Equador com um 3 a 0 hoje, o Flamengo se tornou o primeiro mandante a vencer um jogo de ida das quartas de final desta edição da Taça Libertadores ao derrotar o Internacional por 2 a 0 nesta quarta-feira, no Maracanã.

O grande nome da partida no Rio de Janeiro foi o atacante Bruno Henrique, convocado para a seleção brasileira para os amistosos de setembro, contra Colômbia e Peru, e que marcou os dois gols, ambos no segundo tempo. Dessa forma, deixou o campeão continental de 1981 em grande vantagem sobre o dono dos títulos de 2006 e 2010.

Com o resultado, o atual campeão carioca poderá perder por até um gol de diferença na volta, daqui a uma semana, no Beira-Rio, que mesmo assim irá às semifinais pela segunda vez na história. Ao Inter, que esteve entre os quatro pela última vez em 2015, resta devolver o 2 a 0 para resolver nos pênaltis ou vencer por uma diferença de três ou mais gols.

O Fla surpreendeu ao entrar em campo com Arrascaeta e Gabigol entre os titulares. O meia era dúvida devido a uma virose, enquanto o atacante sequer havia sido relacionado para a partida por causa de um problema muscular. Com isso, o único desfalque foi o meia Diego, que se recupera de fratura no tornozelo esquerdo. Por escolha de Jorge Jesus, Gerson começou no banco, com Everton Ribeiro na formação inicial.

No Inter, o volante Edenílson se recuperou a tempo de uma lesão muscular na coxa direita e começou jogando, compondo trinca de volantes com Rodrigo Lindoso e Patrick. No ataque, Odair Hellmann preferiu Rafael Sobis a Nico López para fazer dupla com Guerrero.

O técnico da seleção brasileira, Tite, esteve no Maracanã e viu um primeiro tempo quente pelos ânimos exaltados, mas de poucas chances claras de gol.

Aos 18 minutos, em bola recuperada no meio-campo, Willian Arão tocou para Bruno Henrique, que chutou de longe e buscou o cantinho direito, mas o goleiro Marcelo Lomba defendeu. A parceria voltou a funcionar aos 28, quando Arão levantou e o atacante cabeceou para mais uma intervenção do arqueiro colorado.

O Inter levou certo perigo aos 40, em finalização de longe de D'Alessandro que encobriu o travessão de Diego Alves. Um minuto depois, Patrick ganhou na ponta esquerda e rolou para Guerrero, que foi travado pela defesa.

Ainda antes do intervalo, aos 45 minutos, Filipe Luís cruzou por baixo, Everton Ribeiro armou o chute, mas deu para Gabigol, que limpou na primeira, na pequena área, mas teve o arremate bloqueado por Rodrigo Moledo.

No segundo tempo, o jogo ficou ainda mais amarrado até perto dos 20 minutos finais. Aos 28, após o escanteio, Nico López pegou a sobra e passou para Bruno, que cruzou para Patrick cabecear para fora.

Em seguida, aos 29, o Flamengo respondeu da melhor maneira possível: com gol. No contra-ataque, Bruno Henrique recebeu de Everton Ribeiro e tentou na primeira, e Victor Cuesta travou no carrinho, mas Gerson ficou com o rebote e rolou para o camisa 27 empurrar para a rede.

Com o adversário nas cordas, o time anfitrião fez o segundo aos 33 minutos. Gabigol rolou dentro da área para Bruno Henrique, que girou para cima de Cuesta e colocou no cantinho direito, sem qualquer chance para Lomba.

Os instantes finais foram quentes, mas a rede não voltou a balançar. Aos 39 minutos, Bruno Henrique tentou retribuir o presente, mas Gabriel furou feio. Aos 46, Nico López progrediu com liberdade pela direita, cortou para a esquerda e teve espaço para ajeitar e bater, mas mandou à esquerda do alvo.

Ficha técnica:.

Flamengo: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Cuéllar, Willian Arão e Arrascaeta (Gerson); Everton Ribeiro (Berrío), Bruno Henrique (Piris da Mota) e Gabigol. Técnico: Jorge Jesus.

Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Patrick, Edenílson (Guilherme Parede) e D'Alessandro (Nico López); Rafael Sobis (Wellington Silva) e Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Christian Schemann e Claudio Ríos.

Cartões amarelos: Willian Arão e Rafinha (Flamengo); Guerrero e Patrick (Internacional).

Gols: Bruno Henrique (2x) (Flamengo).

Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.