EFESalvador

Sem uma grande atuação, o Chile jogou apenas o necessário para vencer o Equador por 2 a 1 nesta sexta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e garantiu classificação antecipada às quartas de final da Copa América, além de deixar a seleção adversária em situação complicada no torneio.

Os chilenos balançaram a rede no início de cada tempo. Quem abriu o placar foi o atacante José Pedro Fuenzalida, em chute cruzado aos sete minutos de jogo. Alexis Sánchez fechou a conta aos seis minutos da segunda etapa, ao chutar de bate-pronto após cruzamento de Charles Aránguiz, ex-Internacional.

Apesar de ter mantido a posse da bola e contido os ataques do Chile em diversas oportunidades, o Equador foi praticamente inofensivo, mas chegou a empatar a partida aos 24 do primeiro tempo, em pênalti cobrado por Enner Valencia.

Quase no fim do jogo, o zagueiro equatoriano Gabriel Achilier foi expulso com um cartão vermelho direto por acertar o rosto de Arturo Vidal com o cotovelo.

Ao balançar as redes novamente nesta sexta-feira, Sánchez se igualou a Philippe Coutinho, ao japonês Koji Miyoshi, ao uruguaio Luis Suárez, ao colombiano Duván Zapata e ao companheiro de seleção Eduardo Vargas na artilharia da competição. Cada um deles marcou dois gols.

O Equador segue sem vencer uma partida sequer em 2019. O último triunfo foi sobre a seleção do Panamá, por 2 a 1, em amistoso disputado em novembro do ano passado. Desde então, foram quatro derrotas (para Estados Unidos, México, Uruguai e Chile) e dois empates (com Honduras e Venezuela).

Com o resultado na Arena Fonte Nova, o Chile encerra a segunda rodada como líder do grupo C, com seis pontos. O Uruguai é o vice-líder, com quatro, seguido pelo Japão, com apenas um. Na segunda-feira, 'La Roja' e 'Celeste' jogarão pela liderança no Maracanã.

Ainda sem pontuar, o Equador permanece na lanterna e pode ser eliminado antes mesmo de enfrentar o Japão no Mineirão, também na segunda-feira. A única opção da 'Tricolor' é vencer na última rodada para tentar se classificar entre as duas melhores terceiras colocadas, o que dependerá dos resultados dos outros grupos.

Disposto a deixar para trás a goleada de 4 a 0 sofrida para o Uruguai na primeira rodada, o treinador do Equador, Hernán Darío Gómez, efetuou seis mudanças na equipe para o jogo em Salvador, com destaques para a saída do meia Antonio Valencia e as entradas do atacante Romario Ibarra e do zagueiro Robert Arboleda, do São Paulo.

Já o técnico do Chile, Reinaldo Rueda, chegou a dizer na véspera que o volante Arturo Vidal, o goleiro Gabriel Arias e o atacante José Pedro Fuenzalida estavam com problemas físicos, mas os três foram escalados como titulares. Sendo assim, o treinador repetiu o time que goleou o Japão por 4 a 0 na estreia.

E não precisou de muito tempo para Fuenzalida mostrar que estava em condições de jogar. Com apenas sete minutos no cronômetro, Charles Aránguiz cruzou na área e a bola sobrou para o atacante, que bateu cruzado no canto de Domínguez.

Os chilenos relaxaram um pouco após o gol, permitindo que os rivais chegassem mais ao ataque. O empate veio aos 24 minutos, quando Jhegson Méndez recebeu lançamento na área e foi derrubado por Arias. Convicto, o árbitro marcou a penalidade máxima e Enner Valencia converteu.

A partir daí, o Equador passou a dominar o jogo, mas sem levar perigo. Sem grandes chances para ambos os lados, o lance mais chamativo do restante do primeiro tempo foi aos 38 minutos, quando Orejuela lançou para Ibarra e Arias saiu da área para interceptar a bola. O atacante ficou no chão, reclamando de falta, mas o juiz deu sequência à jogada.

Ao conversar com a equipe do VAR e analisar o vídeo, por se tratara de um lance de possível expulsão, o árbitro optou por marcar falta e amarelar o goleiro chileno.

Assim como na primeira etapa, o segundo tempo também começou com um gol do Chile. Aos seis minutos, depois de novo cruzamento de Aránguiz para a área, Sánchez apareceu livre e bateu de primeira. A finalização saiu estranha e Domínguez até encostou na bola, mas não conseguiu evitar que entrasse.

Aos 44 minutos, Achilier foi expulso por fazer falta em Vidal. O zagueiro, que ainda não tinha cartão amarelo, recebeu o vermelho direto por acertar o rosto do chileno com o cotovelo.

Ficha técnica:.

Equador: Domínguez; Velasco, Arboleda, Achillier e Ramírez; Orejuela, Gruezo e Méndez (Antonio Valencia); Ibarra (Garcés), Mena (Preciado) e Enner Valencia. Técnico: Hernán Darío Gómez.

Chile: Arias; Isla, Medel, Maripán e Beausejour; Pulgar, Aránguiz e Vidal (Jara); Fuenzalida (Paulo Díaz), Sánchez e Vargas (Pablo Hernández). Técnico: Reinaldo Rueda.

Árbitro: Patricio Loustau (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Juan Pablo Belatti e Ezequiel Brailovsky.

Gols: Enner Valencia (Equador); Fuenzalida e Sánchez (Chile).

Cartões amarelos: Mena, Velasco, Gruezo, Arboleda e Méndez (Equador); Arias, Isla, Vidal e Beausejour (Chile).

Cartão vermelho: Achilier (Equador).

Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador. EFE

vnm/id