EFEBuenos Aires

O cartunista argentino Joaquín Salvador Lavado, conhecido como Quino e por ter criado a personagem Mafalda, morreu nesta quarta-feira, na cidade de Mendoza, aos 88 anos, segundo confirmaram pessoas próximas ao artista.

Mafalda, a pequena questionadora que ficou mundialmente famosa pela imagem e os discursos atemporais e irônicos em prol de um mundo melhor, se tornou a personagem mais conhecida de Quino.

O desenhista, que havia voltado para a cidade natal no fim de 2017, após ficar viúvo, vinha sofrendo com problemas de saúde, embora ainda participasse de eventos nos quais era homenageado pela obra que criou.

Ganhador de diversos prêmios e condecorações, como o Prêmio Príncipe de Asturias de Comunicação e Humanidades, na Espanha, e Ordem das Artes e das Letras, na França, Quino desenvolveu as aventuras de seu personagem mais popular entre 1954 e 1973, mas as histórias de Mafalda são replicadas até hoje.

A família explicou que o artista morreu por "razões próprias da idade e complicações da saúde recentes" e que viveu "integramente". Ainda não há definições sobre o funeral, já que a pandemia de Covid-19 impõe fortes restrições à cerimônia.

Entre as várias reações nas redes sociais após o anúncio da morte está a da Ediciones de la Flor, editora encarregada da obra de Quino, que homenageou o cartunista com a publicação de uma de suas tiras.

Quino completou 88 anos em 17 de julho, junto à família, em Mendoza, dia em que o Ministério da Cultura da Argentina o definiu como "criador de uma parte da cultura argentina" e lembrou que Mafalda "acompanhou com humor e aprendizado ao longo de muitos anos" os milhões de leitores de suas histórias e reflexões.