EFENova York

O renomado arquiteto I.M. Pei, ganhador do prestigiado prêmio Pritzker e autor do projeto da famosa pirâmide de vidro do Museu do Louvre, morreu nesta quinta-feira, aos 102 anos.

A morte foi confirmada ao jornal "The New York Times" por um dos filhos do arquiteto, Li Chung Pei, que exerce a mesma profissão do pai.

Pei, que nasceu na China e era radicado nos Estados Unidos, iniciou a carreira em uma imobiliária de Nova York. Conhecido principalmente pela pirâmide do Louvre, em Paris, e pelo Prédio Leste da Galeria Nacional de Arte de Washington, foi contratado por William Zeckendorf, um empresário do setor da construção de Nova York, em 1948, pouco após se graduar na Universidade de Harvard.

O arquiteto passou a supervisionar os projetos da empresa de Zeckendorf, Webb & Knapp, que construía arranha-céus. Em 1955, criou a própria companhia, I.M. Pei & Associates, que inicialmente se dedicava a projetos do empresário.

A partir de 1960, Pei, conhecido pela personalidade discreta, mas competitiva, começava a ganhar importantes concursos para construir, por exemplo, o Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica do Colorado (1967), assim como o Museu de Arte de Everson em Syracuse, no estado de Nova York, e o Centro de Arte Des Moines, em Iowa, ambos em 1968.

Estes foram os primeiros de vários museus. Um dos últimos e mais surpreendentes foi o de Arte Islâmica de Doha, no Catar, projetado em 2008.

Além de museus, o arquiteto assinou os projetos de diversas casas de shows, instituições de ensino, hospitais, prédios comerciais e edifícios públicos como a Câmara Municipal de Dallas (1977), a Biblioteca John F. Kennedy de Boston (1979), e o Pavilhão Guggenheim do Hospital Mount Sinai de Nova York (1992).