EFELisboa

O atacante português Cristiano Ronaldo, da Juventus, foi transferido nesta quarta-feira em uma ambulância aérea de Portugal para a Itália, um dia após dar positivo em teste para o novo coronavírus, enquanto estava concentrado com a seleção lusa.

O astro partiu do aeroporto de Tires, em Cascais, localizado a 30 quilômetros de Lisboa, depois de permanecer confinado nas instalações do centro de treinamento dos atuais campeões europeus, a partir do resultado do exame de detecção do patógeno que provoca a Covid-19.

O período de isolamento, para evitar o contágio do novo coronavírus, será completado em Turim, onde o português defende a Juve.

Ontem, a própria Federação Portuguesa de Futebol divulgou que Cristiano Ronaldo havia dado positivo em teste para o novo coronavírus, mas ao mesmo tempo tentou tranquilizar fãs e torcedores.

"Está bem, sem sintomas, e em isolamento", indicou o comunicado divulgado pela FPF.

Pouco depois, em entrevista coletiva, Fernando Santos reforçou a informação de que o atacante não tem qualquer problema mais grave relacionado à Covid-19 e que está de bom humor, enquanto se recupera isolado dos companheiros.

"Apenas disse que gostaria de jogar", disse o treinador, em alusão a partida de hoje contra a Suécia, pela Liga das Nações.

CR7 foi o terceiro jogador da seleção portuguesa da dar positivo em teste para o novo coronavírus, depois do zagueiro José Fonte e do goleiro Anthony Lopes.

O badalado atacante esteve em campo no último domingo, em duelo com a seleção francesa, também pela Liga das Nações. No fim da noite desta segunda-feira, Cristiano postou uma foto junto dos companheiros, com a legenda "Unidos dentro e fora do campo".

Na imagem, postada nas redes sociais, nenhum jogador usava máscara ou mantinha qualquer tipo de distanciamento.