EFERedação Central

A Copa América tem uma série de jovens com menos de 23 anos tentando brilhar pela primeira vez com a camisa de suas seleções, entre eles David Neres, que ganhou espaço no Brasil após grande temporada do Ajax, o argentino Lautaro Martínez e Takefusa Kubo, apelidado de "Messi japonês".

Confira dez candidatos a revelação da edição de 2019 da competição continental, que será disputada de 14 de junho a 7 de julho no Brasil:.

.1. DAVID NERES (Brasil. Atacante. Ajax. 22 anos).

O jogador, que saiu do São Paulo para o Ajax no início de 2017, ainda com 19 anos, precisou de tempo para se firmar na equipe holandesa, até se tornar um dos protagonistas da conquista do Campeonato Holandês e da Copa da Holanda, além da chegada às semifinais da Liga dos Campeões.

O desempenho valeu convocação para a seleção principal poucos meses antes da disputa da Copa América. Na estreia, em vitória sobre a República Tcheca por 3 a 1, o atacante deu passe para gol de Gabriel Jesus. No último teste antes do torneio, em goleada sobre Honduras por 7 a 0, marcou pela primeira vez com a camisa amarela.

.2. RODRIGO BENTANCUR (Uruguai. Meia. Juventus. 21 anos).

O meia estreou com a camisa do Boca Juniors aos 17 anos e, em 2017, se transferiu para a Juventus, envolvido na negociação que levou o atacante argentino Carlos Tévez de volta a La Bombonera. No mesmo ano, ajudou o Uruguai a alcançar o quarto lugar do Campeonato Mundial sub-20.

Em 2018, o meia disputou a Copa do Mundo, mas ainda como um coadjuvante. Titular dos cinco últimos jogos da 'Celeste', o jogador é apontado como um dos prováveis líderes de uma nova geração cheia de talentos do futebol uruguaio.

.3. LAUTARO MARTÍNEZ (Argentina. Atacante. Inter de Milão. 21 anos).

Martínez vem em uma ascensão meteórica, depois de ter sido um dos artilheiros do Campeonato Sul-Americano sub-20, em 2017, com cinco gols. Participou do Mundial da categoria, no mesmo ano, em que a Argentina decepcionou, se firmou no Racing e chegou à Inter de Milão no ano passado.

O jovem atacante chegou a ser cotado para disputar a Copa do Mundo, depois de ter sido convocado por Jorge Sampaoli, em março de 2018. Com o técnico Lionel Scaloni, virou figurinha carimbada nas convocações, já marcou dois gols com a camisa 'albiceleste' e luta por um lugar como titular.

.4. LUIS DÍAZ (Colômbia. Atacante. Junior Barranquilla. 22 anos).

Há pouco mais de dois anos, o jogador estava defendendo o Barranquilla, na segunda divisão do Campeonato Colombiano. O bom desempenho levou Díaz ao grande time da cidade, o Junior, pelo qual conquistou um título nacional e foi vice-campeão da Copa Sul-Americana.

No ano passado, chegou a ser convocado para a seleção pelo interino Arturo Reyes, mas foi já sob o comando do português Carlos Queiroz que marcou o primeiro gol com a camisa dos 'Cafeteros', em derrota para a Coreia do Sul, e convenceu que merecia um lugar na convocação final para a Copa América.

.5. WUILKER FARÍÑEZ (Venezuela. Goleiro. Millonarios. 21 anos).

Destaque do vice-campeonato da seleção venezuelana no Campeonato Mundial sub-20, em 2017, Faríñez trocou o Caracas pelo Millonarios, da Colômbia, se tornou o destaque da equipe colombiana e já é especulado para defender equipes europeias na próxima temporada.

Depois de brilhar na Coreia do Sul, há dois anos, o goleiro convenceu Rafael Dudamel, ex-jogador da posição e que treinou a equipe sub-20, além de comandar a principal, de que merecia a condição de titular, a qual não deixou mais até as vésperas da Copa América.

.6. LUIS HAQUIN (Bolívia. Zagueiro. Puebla. 21 anos).

O defensor foi revelado no Oriente Petrolero, em que estreou em dezembro de 2016, ainda com 19 anos. Dois anos depois do primeiro jogo, transferiu-se para o Puebla, do México, e é um dos três jogadores da Bolívia que atua fora do país, com o meia Alejandro Chumacero, companheiro de clube de Haquin, e o atacante Marcelo Moreno, do Shijiazhuang Ever Bright, da China.

Na seleção boliviana, o jovem zagueiro chegou ainda em março de 2017, atuando pela primeira vez três meses depois, em amistoso com a Nicarágua. Recentemente, foi titular durante duelo com a França, disputado em Nantes, na derrota por 2 a 0.

.7. SANTIAGO ARZAMENDIA (Paraguai. Lateral-esquerdo. Cerro Porteño. 21 anos).

Nascido na Argentina, o jogador esteve no radar da federação de futebol da Argentina (AFA) para defender a seleção do país, embora tenha passado toda a carreira no Cerro Porteño. Neste ano, Arzamendia foi um dos destaques da boa participação do clube na fase de grupos da Taça Libertadores.

O lateral-esquerdo, que foi convocado pela primeira vez neste ano para defender a seleção paraguaia, ganhou a confiança do técnico Eduardo Berizzo e virou titular da posição nos dois últimos compromissos antes da Copa América.

.8. JUAN FOYTH (Argentina. Zagueiro. Tottenham. 21 anos).

O zagueiro estreou aos 19 anos no Estudiantes e não demorou a se firmar como um dos destaques do clube. Rapidamente, entrou no radar do futebol europeu e foi contratado para defender o Tottenham, do técnico Mauricio Pochettino, apenas três meses depois de jogar pela primeira vez pela equipe de La Plata.

Ainda em 2018, estreou pela seleção argentina e, sob o comando de Lionel Scaloni, substituto de Jorge Sampaoli, teve oportunidades de ser titular, ao lado do veterano Nicolas Otamendi.

.9. FEDERICO VALVERDE (Uruguai. Meia. Real Madrid. 20 anos).

Contratado pelo Real Madrid junto ao Peñarol, pouco antes de completar 18 anos, o meia estreou pelo clube espanhol nesta temporada, depois de defender por um ano a equipe B e ser cedido por empréstimo para o Deportivo La Coruña.

Na seleção uruguaia, é mais um jogador com presença desde o sub-15, com direito a participação no Campeonato Mundial sub-20, em 2017, que terminou com quarto lugar. Apesar de muito jovem, o jogador ganhou a confiança de Óscar Tábarez, que o tornou frequente nas convocações da equipe principal.

10. TAKEFUSA KUBO (Japão. Meia. FC Tokyo. 18 anos).

A seleção japonesa vem para a Copa América com muitos jovens, dentro do projeto de dar experiência para jogadores visando a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Dentro do grupo, um dos nomes de maior destaque é o de Takefusa Kubo, apelidado de "Messi japonês".

O jogador chegou a defender, de 2011 a 2015, as divisões de base do Barcelona, antes de se transferir para o FC Tokyo, clube pelo qual atua até hoje. Na seleção japonesa, é figurinha carimbada desde o sub-15. Na principal, estreou em amistoso com El Salvador, dias antes da estreia no torneio sul-americano.