EFEMadri

O zagueiro Sergio Ramos, que se despediu do Real Madrid nesta quinta-feira, deixou claro, em discurso emocionado, que a saída não se deve a razões econômicas, mas que o tempo de contrato oferecido na proposta de renovação foi um motivo de discórdia entre as partes e houve um desentendimento na negociação.

"O clube me fez uma proposta de um ano com redução salarial. Quero ressaltar e deixar bem claro que o dinheiro nunca foi um problema, o presidente sabia pela minha boca nos últimos meses que não era dinheiro. A questão eram os anos: me ofereceram um e eu queria dois. Foi a única coisa que pedi", argumentou em entrevista coletiva.

De acordo com o defensor, de 35 anos, após longas negociações, quando aceitou a nova proposta de um ano de contrato com redução salarial, foi comunicado pelo clube que a proposta tinha "expirado".

"Nesta situação, nas últimas conversas, aceitei a proposta com redução salarial e me disseram que não havia mais proposta, que eu seria jogador do Real Madrid até o dia 30 de junho. Não sei por que a proposta expirou, desconheço. Entendo que há um trato amigável e negociável, talvez eu tenha entendido errado, mas ninguém me falou que tinha prazo de validade", relatou.

Ramos optou por não revelar qual pessoa do clube o informou sobre o problema com o prazo para a renovação do contrato.

"São reuniões privadas, e quero mantê-las assim. Algumas coisas faladas são pessoais. Meu agente foi comunicado há uma semana e ficamos surpresos. Entendíamos que estávamos em uma negociação. Não guardo rancor, não quero conflito. É um até logo, esta é a minha casa, minha família e sempre estará no meu coração. Sergio Ramos voltará", declarou.

Apesar de ter revelado a polêmica, o jogador diz que não se arrepende de nada do que fez durante as negociações e que não criticará o presidente do clube, Florentino Pérez.

"Não me arrependo de nada. Quando compram a marca Sergio Ramos, compram as virtudes e os defeitos. Gosto de ser sempre eu. Minha relação com o presidente foi extraordinária, de pai e filho esportivamente, e sempre serei extremamente agradecido a Florentino Pérez por ter me permitido viver este sonho. Não vou fazer declarações contra ele. Existem discrepâncias na minha família, mas vou ficar com o nosso último abraço. Tenho deixado o rancor de lado com o tempo", esclareceu.

Revelado pelo Sevilla, em 2004, Sergio Ramos saiu no ano seguinte, ao assinar com o Real Madrid, onde construiu a carreira. Ao falar sobre o futuro, o zagueiro descartou voltar ao Sevilla no momento e negou qualquer possibilidade de defender o Barcelona.

"Não pensamos em nenhuma equipe ainda. Já houve uma ou outra ligação, mas não tínhamos em mente sair do Real Madrid. A partir de agora, buscaremos uma boa opção para mim. O Sevilla é o outro clube da minha vida, mas hoje não contemplo essa opção, é um momento diferente. Ao Barcelona, é um 'não' contundente. É impossível ver Ramos com a camisa do Barça", garantiu. EFE

rmm-omb/vnm