EFERedação Central

A Uefa anunciou nesta sexta-feira que oito sedes da Eurocopa 2020, que acontecerá em junho e julho deste ano, terá presença de público, em percentuais variáveis, enquanto a situação de Bilbao, Munique, Roma e Dublin será definida no próximo dia 19 para que as cidades forneçam informações adicionais sobre seus planos e a situação da pandemia do coronavírus em cada uma delas.

"As decisões finais sobre a realização dos jogos nesses quatro locais serão tomadas nessa data, e outras informações serão comunicadas para aqueles que compraram ingressos, declarou a entidade que rege o futebol europeu em um comunicado.

A Uefa ficou satisfeita com as informações que coletou sobre São Petersburgo, Budapeste, Baku, Amsterdã, Bucareste, Copenhague, Glasgow e Londres, que confirmaram ter capacidade para receber pelo menos 25% da lotação dos estádios. O percentual foi definido com base nas previsões de melhoria da situação de saúde em seus países.

Segundo a entidade, São Petersburgo confirmou uma capacidade de 50%, com a possibilidade de um aumento no final de abril, e Budapeste tem como objetivo a plena capacidade dos estádios, com rigorosos requisitos de entrada para os espectadores.

Baku reportou uma capacidade de 50%, e os torcedores precisarão apresentar um resultado negativo no teste de coronavírus para entrar no Azerbaijão. Amsterdã, Bucareste, Copenhague e Glasgow asseguraram presença de público de entre 25% e 33% da capacidade de seus estádios, e todas elas dizem que o percentual pode aumentar dependendo do progresso de seus programas de testes em massa e das condições gerais de saúde.

Londres confirmou uma capacidade mínima de 25% para os três jogos da fase de grupos e para as oitavas de final e espera receber mais gentes nas semifinais e na final, o que seria anunciado no início de junho.

A Uefa afirmou que o público previsto nos locais foi também em resposta ao desenvolvimento do programa de vacinação dos países e das medidas planejadas para a reabertura da economia. Além disso, pesquisadores acreditam que a transmissão do vírus diminuirá durante a temporada de calor na Europa, a partir de maio, e alguns países anfitriões terem incluído a Euro 2020 em sua estratégia nacional de reabertura.

Já Bilbao, Munique, Roma e Dublin ainda não tem garantias sobre a possibilidade da presença de espectadores nos estádios e ganharam mais dez dias para que se pronunciem. Caso não consigam assegurar que os torcedores possam ir às partidas, serão descartadas para o torneio. EFE

omm/dr