EFERedação Central

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou nesta terça-feira a aprovação do aumento em mais duas semanas da suspensão dos trabalhos das equipes que participam do Campeonato Mundial de Fórmula 1.

"Após aprovação unânime do Grupo de Estratégia da Fórmula 1, da Comissão e de todas as equipes, o Conselho Mundial do Esporte a Motor ratificou por voto eletrônico a decisão de estender o período de paralisação da Fórmula 1 de 21 para 35 dias, a ser realizado em março, abril e/ou maio", aponta comunicado.

A medida vale não só para as escuderias, mas também para fabricantes de unidades de potência.

No mês passado, a FIA e a organização da Fórmula 1 anunciaram a antecipação das férias do meio de temporada, que normalmente duram duas semanas, ampliando-as para três, devido a crise provocada pela pandemia da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

De acordo com a decisão anunciada pela Federação Internacional de Automobilismo, as equipes podem cumprir o período de 35 dias de paralisação entre março, abril ou maio. As três semanas iniciais da Ferrari, por exemplo, acabariam em 8 de abril, as da Alfa Romeo, cinco dias depois.

"Mais discussões sobre esse assunto seguem abertas entre FIA, Fórmula 1 e todas as equipes, seguirão de acordo com o impacto global da pandemia do novo coronavírus", diz o comunicado.

Das oito primeiras etapas programadas para o Mundial, duas foram canceladas, Austrália e Mônaco, e seis foram adiadas, Bahrein, Vietnã, China, Holanda, Espanha e Azerbaijão. A primeira prova marcada até o momento é o GP do Canadá, para o fim de semana de 14 de junho. EFE

sab/bg