EFECannes (França)

"Parasite", dirigido pelo cineasta sul-coreano Bong Joon-Ho, venceu neste sábado a Palma de Ouro do 72º Festival de Cannes, edição que também premiou os brasileiros Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles por "Bacurau".

Muito emocionado ao subir no palco do Teatro de Lumière para receber o prêmio, Bong afirmou que não esperava vencer a Palma de Ouro e citou dois cineastas franceses que sempre o inspiraram: Claude Chabrol e Henri-Georges Clouzot.

O diretor também destacou que produzir "Parasite", uma comédia que se torna em tragédia, foi uma "aventura muito particular", que não poderia ter sido feita sem o talento dos atores que participaram do filme.

O presidente do júri do Festival de Cannes, o cineasta mexicano Alejandro González Iñarritu, destacou que o prêmio foi concedido por unanimidade ao filme sul-coreano.

"Nos tempos nos quais estamos, nos quais a democracia está se perdendo, esta foi uma decisão totalmente democrática. Foi tomada em conjunto, de forma totalmente unânime", destacou Iñarritu.

O Grande Prêmio do Júri, o segundo mais importante de Cannes, foi vencido por "Atlantique", da senegalesa Mati Diop, a primeira mulher negra a ser indicada para a seção oficial do festival.

"Atlantique" fala sobre os sonhos dos jovens do Senegal em viajar à Europa nos anos 1990 e sobre a decisão tomada por eles de arriscar suas vidas em uma perigosa travessia pelo Atlântico.

O espanhol Antonio Banderas levou o prêmio de Melhor Ator pelo papel em "Dor e Glória", de Pedro Almodóvar, a quem dedicou a honra.

"O respeito, o admiro. É meu mentor, me deu tanto na vida que não tenho mais do que a obrigação de dedicar a ele esse prêmio", ressaltou o ator ao receber a premiação.

A britânica Emily Beecham conquistou o prêmio de melhor atriz pela atuação em "Little Joe", de Jessica Hausner. Já a categoria melhor roteiro foi para a francesa Céline Sciamma, por "Portrait de La Jeune Fille en Feu", que estava cotado à Palma de Ouro.

"Bacurau", de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, dividiu o Prêmio do Júri com "Les Miserables", de Ladj Ly.

"Isso é pelo Brasil", disse Mendonça Filho ao receber a honra. Já Dornelles dedicou a conquista aos "trabalhadores da ciência, da educação e da cultura" no país.

O prêmio foi entregue pelo cineasta americano Michael Moore, que em um longo discurso criticou as mentiras ditas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Além disso, o polêmico diretor afirmou que, em tempos obscuros, a arte pode "salvar o mundo dos autocratas e dos imbecis".

O prêmio de Melhor Diretor foi dividido pelos irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne, por "Le Jeune Ahmed", um filme sobre a radicalização islamita de uma criança.

Confira a lista dos premiados na 72ª edição do Festival de Cannes:.

Palma de Ouro: "Parasite", de Bong Joon-Ho.

Grande Prêmio do Júri: "Atlantique", de Mati Diop.

Prêmio do Júri: "Bacurau", de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, "Les Miserables", de Ladj Ly.

Prêmio de Melhor Direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, por "Le Jeune Ahmed".

Prêmio de Melhor Ator: Antonio Banderas, por "Dor e Glória".

Prêmio de Melhor Atriz: Emily Beecham, por "Little Joe".

Prêmio de Melhor Roteiro: Céline Sciamma, por "Portrait de La Jeune Fille en Feu".

Menção especial do Júri: Elia Suleiman, por "It Must be Heaven".

Câmera de Ouro: "Nuestras Madres", de César Díaz.

Palma de Ouro de Melhor Curta-Metragem: "The Distance Between Us and the Sky", de Vasilis Kekatos.

Menção Especial de Curta-Metragem: "Monstruo Dios", de Agustina San Martín.