EFENova York

As filmagens originais dos momentos que pararam o mundo no dia 20 de julho de 1969 foram leiloadas neste sábado, data em que os primeiros passos do homem na Lua completam 50 anos, por US$ 1,8 milhões.

Milhões de pessoas ficaram atônitas ao testemunharem aquele feito que consideravam impossível, a caminhada de Neil Armstrong e Buzz Aldrin no satélite terrestre, gravações vendidas por engano pela Nasa na década de 1970 e hoje negociadas pela casa de leilões Sothebys, em Nova York.

O valor pago hoje por três vídeos originais da primeira caminhada do homem na Lua é oito mil vezes superior aos US$ 217,77 investidos por um estagiário da Nasa que comprou as fitas em um leilão da agência em 1976.

Estudante de Engenharia na época, Gary George trabalhava na Nasa e esperava fazer gravações por cima das 65 caixas de fitas que comprou no leilão. Ele só descobriu depois que havia levado consigo para casa um "pedaço" da história.

O preço esperado para o mais cobiçado artigo do leilão especial organizado pela Sothebys em comemoração aos 50 anos da missão Apollo 11 era de até US$ 2 milhões. Os lances começaram em US$ 700 mil, mas rapidamente subiram para os US$ 1,8 milhão arrecadados no fim.

Três pessoas disputavam os históricos filmes, fazendo propostas pela internet e por telefone. As fitas são as únicas sobreviventes da primeira geração de gravações do passeio lunar e são mais nítidas que as imagens retransmitidas pelas emissoras de televisão na época.

George se desfez de muitas fitas que adquiriu da Nasa, deu algumas para a universidade onde estudou, mas conservou estas três, que registravam a chegada da Apollo 11 à superfície lunar, depois de seu pai perceber que as caixas onde elas estavam identificavam o conteúdo histórico.

Segundo a Sothebys, as fitas foram reproduzidas três vezes. O áudio das fitas, gravadas no centro espacial Manned Spacecraft, no Texas, que hoje se chama Lyndon Johnson, é considerado como excelente.

Em outubro de 2008, George encontrou um estúdio com equipamento capaz de reproduzir as fitas, algo que ele ainda não havia feito desde a compra. Milagrosamente, elas estavam em impecáveis condições.

Onze anos depois, elas foram reproduzidas novamente para digitalização. Na terceira vez, as fitas foram assistidas por especialistas da Sothebys.

"As três fitas de duas polegadas transportam a audiência ao monitor do controle da missão, que mostrava imagens mais claras e com maior contraste do que aquelas vistas por 500 milhões de pessoas na televisão", disse a casa de leilões sobre o material.

Outros artigos leiloados hoje também chamam a atenção, entre eles uma colagem de fotos, negociada por US$ 225 mil, que inclui uma mensagem escrita à mão e assinada por Aldrin, que se acredita ser a primeiro texto escrito na superfície lunar.

Já duas bandeiras, uma dos Estados Unidos e outra da ONU, levadas pelos astronautas na missão Apollo 11, foram compradas por US$ 6 mil.

Ruth E. Hernández Beltrán.