EFEGenebra

A Aliança Global para Vacinas e Imunização (Gavi), juntamente com a Fundação Bill & Melinda Gates e o Instituto Serum, da Índia, anunciaram hoje que fabricarão e distribuirão 100 milhões de doses da futura vacina contra a Covid-19 em 92 países em desenvolvimento até 2021.

Cada dose da vacina em potencial terá um preço máximo de US$ 3, segundo nota emitida pela Gavi. O acordo estabelece que uma vez que algum dos candidatos - até agora, há seis projetos na fase 3, de testes em humanos - obtenha todas as licenças necessárias, o Instituto Soro, o maior fabricante mundial de vacinas, aumentará o capital necessário para elevar a produção a partir do primeiro semestre do ano que vem.

De acordo com o comunicado, a vacina escolhida para produção em massa poderia ser o que está sendo desenvolvido atualmente pela empresa farmacêutica britânica AstraZeneca em colaboração com a Universidade de Oxford, já em sua última fase de testes, ou o que está sendo pesquisado pela empresa americana Novavax.

"Já vimos muitas vezes como os países mais vulneráveis ficaram para trás em novos tratamentos, diagnósticos e vacinas, mas queremos que em relação à Covid-19 seja diferente", disse o CEO da Gavi, Seth Berkley, ao anunciar o acordo.

"Se apenas os países mais ricos forem protegidos, o comércio internacional e a sociedade global continuarão a ser duramente atingidos, com a pandemia ainda assolando o planeta", completou o chefe da aliança.

Bill Gates, co-presidente da fundação que leva seu nome e o de sua esposa, acrescentou na nota que o acordo liga o potencial industrial da Índia com a rede de distribuição da Gavi. Ele ainda salientou: "É apenas o começo. Milhões, talvez bilhões, de doses devem ser produzidas até 2021".

A Gavi foi fundada em 2000 com o incentivo da Fundação Bill e Melinda Gates e o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Banco Mundial.