EFEFernando Salcines, Moscou

Artistas visuais de todo o mundo, inclusive do Brasil, levaram luzes e cores ao bairro de Trekhgorka, em Odintsovo, cidade da região metropolitana de Moscou.

"Pensamos neste projeto como um caminho para fazer este bairro deixar de ser um problema para se tornar uma atração, um espaço para as pessoas visitarem, inclusive, turistas", disse à Agência Efe Dmitry Levochkin, organizador do festival Urban Morphogenesis, que promete pintar 36 fachadas de 20 edifícios.

Ao longo dos anos, Trekhgorka e seus prédios altos e cinzentos ficaram quase condenados ao esquecimento, enquanto conviviam com problemas de estruturas nas construções.

Porém, pintores e grafiteiros russos convocaram artistas de todas as partes do mundo para transformar o bairro em um lugar mais do que habitável.

Um imenso retrato de Yuri Gagarin sorridente, um peixe meio real, meio plástico, um casal de adolescentes se beijando, um urso que captura a lua, um gato escuro que parece se transformar em fumaça e jogos geométricos de cores são algumas das obras já concluídas.

Em guindastes e escadas, os autores trabalham incansavelmente. São artistas que vieram de Brasil, China, Estados Unidos, Itália, Portugal, França, Japão e Cazaquistão, entre outros países.

O projeto, segundo os organizadores, é único devido à magnitude. Quem passa pela região pode ver gigantescos murais de 14 metros de largura por 56 metros de altura, medidas equivalentes a um edifício de 16 andares.

"Nem eu mesmo sei como começou tudo, foi como um sonho. Vi todas estas paredes de concreto, todo esse horror, e me perguntei: como as pessoas podem viver assim? Então pensei: é preciso fazer algo para chamar a atenção sobre o bairro", contou Levochkin.

A possibilidade de pintar em uma cidade tão próxima de Moscou é algo que empolgou artistas como o espanhol Pez, que trabalha ao lado da colombiana Chicadania, em uma mistura de representação realista e jogos com quadrinhos.

"Sempre temos ideias equivocadas das pessoas até que as conhecemos. Tivemos a oportunidade de conhecer como são os russos de verdade", afirmou o espanhol.

Já Chicadania contou à Efe que a intenção da obra conjunta com Pez é transmitir boas energias aos moradores da região, que se envolveram com o projeto.

"A comunidade está superinteressada. Eles estão a todo o momento olhando, perguntando, nos oferecendo de tudo. Vemos como o bairro é importante para eles. A verdade é que não esperávamos isso", disse.

Os moradores de Trekhgorka, ao longo do dia, vão se aproximando das obras, observando e as avaliando, orgulhosos da reconstrução da imagem local.

O mexicano Farid Rueda é um veterano em pintar murais em Moscou, para onde viajou três vezes. Desta vez, produziu uma pintura que mostra criaturas pré-colombianas e frutas tropicais, com uma paleta de cores frescas e vivas.

No fim de agosto, quando os mais de 60 artistas que trabalham no bairro derem suas últimas pinceladas e esgotarem os 50 mil litros de tinta disponíveis para o projeto, o bairro talvez não tenha resolvido todos os problemas, mas deixará de ser cinzento, monótono e sem identidade.