EFETóquio

O Japão está reabrindo seus principais pontos turísticos, aplicando medidas para evitar um aumento descontrolado dos casos de Covid-19, como a limitação de capacidade adotada a partir desta terça-feira pelos jardins do palácio imperial em Tóquio.

Esses jardins abriram suas portas após dois meses fechados devido à pandemia do novo coronavírus, embora, por enquanto, o acesso seja limitado a 100 pessoas por dia e eles sejam obrigados a usar uma máscara e ter a temperatura medida antes de acessar o local, de acordo com detalhes fornecidos por Agência da Casa Imperial.

A abertura dos emblemáticos jardins icônicos da capital japonesa acontecem no dia seguinte a cidade ter entrado na segunda fase das restrições para evitar a propagação do novo coronavírus e cerca de uma semana após o estado de emergência sanitária ter sido suspenso todo o país.

Na véspera, outros pontos turísticos populares do país já estavam abertos, como a torre Tokyo Skytree, que reduziu o horário de visitas e o uso de elevadores; o Templo Todai-ji, em Nara, famoso por sua estátua de Buda de 15 metros de altura; ou o Museu da Paz, em Hiroshima, todos com controles de temperatura e fazendo um apelo para que os visitantes fiquem distantes.

Enquanto o parque de diversões Disneyland, em Tóquio, anunciou que suas instalações permanecerão fechadas, apesar da retirada do alerta de saúde. Já o Universal Studios Japão, em Osaka, indicou que abrirá suas portas na próxima segunda-feira, dia 8, embora com restrições nas medidas de acesso. EFE

mra/phg