EFELisboa

Um jovem hacker português foi identificado pela Polícia Judiciária de Portugal como principal suspeito de roubar e publicar e-mails de dirigentes do Benfica, o que provocou um grande escândalo dentro do clube.

As informações foram reveladas pela revista "Sábado", que também afirmou que o suspeito é um jovem de 30 anos, natural do Porto e que atualmente reside em um país do leste europeu.

A divulgação nas mensagens gerou uma grande polêmica no futebol português, especialmente entre Benfica e Porto, um incidente que ficou conhecido no país como "caso dos e-mails".

Os e-mails mostravam que algumas entidades do futebol português poderiam estar atuando em benefício de alguns clubes. As revelações estão sendo investigadas pelas autoridades do país.

De forma paralela, a Justiça investiga o caso batizado como "E-toupeira". O Ministério Público acusa o Benfica de ter cometido um total de 30 crimes e pede que o clube seja punido com penas que vão de seis meses a três anos de suspensão.

Segundo os promotores, o ex-assessor jurídico do Benfica tinha acesso a informações privilegiadas obtidas por meio de dois funcionários da Justiça portuguesa. O presidente do clube, conforme a acusação, sabia e autorizava as ações de seu subordinado.

O Ministério Público afirma que o Benfica oferecia presentes e ingressos aos dois funcionários da Justiça em troca de informações sobre processos em andamento.