EFEMoscou

O líder da oposição ao governo da Rússia, Alexey Navalny, dedicou nesta quinta-feira o Prêmio Sakharov, que recebeu ontem do Parlamento Europeu, a todas as pessoas que atuam para combater a corrupção no planeta.

"Dedico o prêmio aos lutadores contra a corrupção em todo o mundo, desde jornalistas até advogados, de servidores públicos a parlamentares, e àqueles que vão para as ruas apoiar essa batalha", afirmou o ativista político, por meio do Instagram.

Navalny, que cumpre pena de dois anos e meio de prisão, desejou ainda a todos que homenageou "perseverança e coragem, inclusive, naqueles momentos quando se tem um pouco de medo".

O russo garantiu que a corrupção é culpada, não apenas pela pobreza e pela degradação do Estado, mas também é "a principal ameaça para os direitos humanos".

"'Ao dinheiro, gosta o silêncio'", não deixam de repetir aqueles que me colocam na prisão, me torturam e privam as pessoas do direito de um julgamento justo e eleições limpas", garantiu Navalny.

O ganhador do Prêmio Sakharov ganhou notoriedade ao denunciar o suposto enriquecimento ilícito na administração pública da Rússia, o que o tornou um alvo do governo de Vladimir Putin.

Ao anunciar a concessão da honraria, o Parlamento Europeu destacou a "grande valentia" de Navalny e o fato da luta dele contra o Kremlin ter "custado a liberdade e quase a vida".

Em agosto de 2020, o líder da oposição foi envenenado com o agente tóxico Novichok e chegou a ficar em coma, antes de ser levado para a Alemanha, onde recebeu atendimento.

A oposição da Rússia acusa o Serviço Federal de Segurança, a antiga KGB, de ser responsável pela ordem de envenenar o ativista político. EFE