EFESantiago

A pandemia do novo coronavírus está causando um aumento sem precedentes nos níveis de pobreza na América Latina, a região mais desigual do mundo e mais afetada pela crise sanitária, com 22 milhões de novos pobres em 2020, revelou nesta quinta-feira a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

A agência da ONU estimou que no ano passado a taxa de pobreza atingiu 33,7% da população e a taxa de pobreza extrema foi de 12,5%, níveis não observados nos últimos 12 e 20 anos, respectivamente.

O número total de pessoas que vivem na pobreza, desta forma, aumentou para 209 milhões, dos quais 78 milhões estão em extrema pobreza, ou seja, 8 milhões a mais do que em 2019, segundo o relatório "Panorama Social da América Latina 2020", apresentado pela Cepal, com sede em Santiago, capital do Chile.