EFELima

O Peru não poderá receber as 20 milhões de doses da vacina Sputnik V que encomendou ao instituto russo Gamaleya devido a problemas de produção, declarou o ministro da Saúde do país, Hernando Cevallos.

As doses deveriam chegar ao Peru em setembro, conforme anunciado pelo governo anterior, do ex-presidente Francisco Sagasti, mas "até agora não chegaram", e a atual gestão entende que não contará com elas, "pelo menos neste ano", declarou o ministro à emissora de televisão "RPP Noticias".

"As vacinas com as quais o governo anterior se comprometeu não foram pagas, são contratos, mas não foram pagas. Portanto, as empresas não estão sujeitas a qualquer obrigação legal de trazê-las a tempo", acrescentou Cevallos.

O ministro afirmou ainda ter conversado com o Fundo Russo de Investimento, que participou do acordo, e ouviu que os produtores "não têm as vacinas disponíveis e estão tendo dificuldades na produção".

Cevallos antecipou que a distribuição de vacinas contra a covid-19 no país será reduzida em outubro, porque "foi cancelada a chegada da Sputnik V, e as doses do mecanismo Covax não estão chegando a muitos países".

Até hoje, o Peru aplicou 26,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, das quais 15,8 milhões correspondem à primeira dose e 10,9 milhões à segunda. EFE