EFEMadri

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, confirmou nesta quinta-feira que o protocolo de adesão à Otan de Finlândia e Suécia será assinado na próxima terça-feira, em uma solenidade que contará com a presença dos ministros das Relações Exteriores dos dois países.

"A decisão política, a decisão real de convidar a Finlândia e a Suécia para se unirem na Otan, foi tomada na cúpula ontem", reforçou o político norueguês.

"Depois, faremos a assinatura formal do protocolo de adesão na terça-feira, com a presença dos ministros de Exteriores sueco (Ann Linde) e finlandês (Pekka Haavisto)", completou Stoltenberg, em entrevista coletiva concedida após o término da cúpula da Otan.

A guerra na Ucrânia levou que as duas nações nórdicas, de tradição de neutralidade, solicitassem o ingresso na aliança, em processo que foi dificultado pelo bloqueio da Turquia a ambos, por considerar que são países que protegem o que Ancara classifica como terroristas.

Ontem, foi alcançado um acordo entre as três nações, o que levou ao convite formal para Finlândia e Suécia passarem a fazer parte da Otan.

Uma vez que seja assinado o protocolo de adesão, será necessária a ratificação dos 30 países que compõem atualmente a aliança.

A aplicação da cláusula de defesa coletiva da Otan só será aplicada para Finlândia e Suécia depois que acontecer a ratificação pelos integrantes.

Questionado sobre as ameaçadas da Rússia, após o convite aos dois países nórdicos, Stoltenberg garantiu que os membros "estamos dispostos a proteger todos os aliados", incluindo os recém-chegados. EFE