EFELisboa (Portugal)

O Paris Saint-Germain se classificou para as semifinais da Liga dos Campeões pela primeira vez desde a temporada 1994-1995, ao vencer a Atalanta por 2 a 1 de virada nesta quarta-feira, no Estádio da Luz, em Lisboa, graças aos gols marcados nos instantes finais por dois heróis improváveis: o zagueiro Marquinhos e o atacante Choupo-Moting.

Estreante na Champions, 'La Dea' liderou o placar até os 45 minutos do segundo tempo, graças a Pasalic, que havia feito 1 a 0 na primeira etapa. Mas, em um elenco com homens de frente badalados, como Neymar, Mbappé e Icardi, o defensor brasileiro igualou e, três minutos depois, o atacante camaronês desempatou.

Devido à pandemia do novo coronavírus, a Uefa decidiu realizar a fase final da Liga dos Campeões com eliminatórias em jogo único a partir das quartas, todos em Lisboa. Na luta para ir a uma decisão inédita, o PSG terá pela frente Atlético de Madrid ou RB Leipzig, que medirão forças amanhã, no estádio José Alvalade.

A Champions permaneceu paralisada de março até a semana passada, quando foram realizados os jogos restantes das oitavas de final. Nesse período, o PSG perdeu o lateral-direito Meunier e o atacante Cavani, cujos contratos terminaram. O vínculo do zagueiro Thiago Silva também se encerrou, mas ele renovou até o fim de agosto para disputar a parte final do torneio continental e foi titular. Quanto aos outros brasileiros do elenco, Marquinhos atuou como volante, e Neymar teve liberdade para comandar a linha de frente.

O principal problema para o técnico Thomas Tuchel, no entanto, foi o atacante Mbappé, que se machucou na final da Copa da França, no último dia 24 e não se recuperou a tempo. Com isso, começou no banco e foi para o sacrifício na etapa final. Já o meia Verratti sequer pôde ser relacionado para o confronto.

Na Atalanta, que teve o zagueiro Rafael Tóloi entre os titulares, Gianpiero Gasperini não pôde contar com o também atacante Ilicic, um dos grandes nomes da campanha que levou à equipe ao terceiro lugar do Italiano. Com isso, o trio ofensivo teve Pasalic, Gómez e Zapata.

A história do jogo poderia ter sido bem diferente se Neymar estivesse com o pé calibrado. Logo aos dois minutos de bola rolando, Icardi fez o pivô para o camisa 10, que, com espaço, chutou para fora.

Ousada como de costume desde a temporada passada, 'La Dea' incomodou duas vezes em sequência, aos 11, com Caldara, e aos 13, com Djimsiti, mas nos dois casos o goleiro Navas interveio. Neymar respondeu aos 18, em batida cruzada depois de tabela com Herrera, mas errou o alvo.

Até que aos 26 minutos o time de Bergamo fez 1 a 0. Zapata e Kimpembe dividiram na área, Pasalic ficou com a sobra e mandou uma linda finalização colocada, tirando qualquer chance de defesa de Navas.

Ainda antes do intervalo, Neymar apareceu bem pelo menos três vezes, mas continuava mal nos arremates. Aos 27 minutos, o camisa 10 deu uma caneta em Pasalic e chutou raseiro, à direita do gol. Aos 34, em cobrança de falta, enfim deu trabalho ao goleiro Sportiello, que defendeu em dois tempos. Aos 41, de pé esquerdo, aproveitando presente incrível de Hateboer, cedeu novo tiro de meta.

A vantagem fez com que a Atalanta abandonasse o seu ímpeto ofensivo, e o time criou menos no segundo tempo, mas mesmo assim incomodou aos 12 minutos. Tolói desceu bem para o ataque e preparou para Djimsiti, que errou a meta por centímetros.

Ainda longe das condições ideais, Mbappé, que entrara em lugar de Sarabia, conseguiu ser perigoso aos 28. O Melhor Jogador Jovem da Copa do Mundo de 2018 foi lançado por Paredes, outro que começou no banco, e obrigou Sportiello a fazer grande intervenção. Ele tentou de novo aos 34, de pé esquerdo, mas novamente parou no goleiro.

Eliminado da Liga dos Campeões com gols no fim contra o Manchester United em 2019 e o Barcelona em 2017, o PSG desta vez pôde sentir o gosto de vencer no apagar das luzes. Aos 45 minutos, Choupo-Moting, que substituíra Icardi, cruzou, Neymar bateu para o meio e Marquinhos empurrou para a rede.

Três minutos depois, Neymar descolou lindo passe para Mbappé, que cruzou por baixo. Choupo-Moting apareceu com liberdade e completou para o gol, classificando o time francês.

Ficha técnica:.

Atalanta: Sportiello; Djimsiti (Palomino), Rafael Tolói e Caldara; Hateboer, De Roon, Freuler e Gosens (Castagne); Pasalic (Muriel), Gómez (Malinovskyi) e Zapata (Da Riva). Técnico: Gianpiero Gasperini.

Paris Saint-Germain: Navas (Rico); Kehrer, Thiago Silva, Kimpembe e Bernat; Marquinhos, Gueye (Paredes) e Herrera (Draxler); Sarabia (Mbappé), Neymar e Icardi (Choupo-Moting). Técnico: Thomas Tuchel.

Árbitro: Anthony Taylor (Inglaterra), auxiliado pelos compatriotas Gary Beswick e Adam Nunn.

Cartões amarelos: Freuler, Caldara, De Roon, Zapata, Rafael Tolói e Palomino (Atalanta); Bernat, Herrera e Paredes (PSG).

Gols: Pasalic (Atalanta); Marquinhos e Choupo-Moting.

Estádio da Luz, em Lisboa (Portugal).