EFELondres

A rainha Elizabeth II convocou os principais membros da família real britânica em sua residência em Sandringham (Inglaterra) para discutir, na segunda-feira, o futuro papel na monarquia dos duques de Sussex, Harry e Meghan Markle.

Além de Harry, seu irmão, o príncipe William, e seu pai, Charles, participarão da reunião, enquanto Meghan participará por telefone do Canadá, disse um porta-voz do Palácio de Buckingham neste domingo.

A reunião analisará os "próximos passos" a serem tomados em relação aos duques, que na semana passada anunciaram que planejam se distanciar de seus deveres como representantes da monarquia e dividir seu tempo a partir de agora entre o Reino Unido e a América do Norte.

A família real analisará possíveis planos que foram elaborados em coordenação com oficiais do governo britânico e canadense, onde presumivelmente os duques desejam estabelecer uma residência.

O anúncio inesperado de Harry e Meghan, que dizem que pretendem "trabalhar para ser financeiramente independentes", causou desconforto entre os outros membros da monarquia e levantou dúvidas sobre as futuras fontes de financiamento dos duques.

Cinco por cento de suas despesas oficiais são provenientes de fundos públicos concedidos pelo governo à monarquia, enquanto a maior parte de sua receita é proveniente do Ducado da Cornualha, o amplo portfólio de propriedades e investimentos do príncipe Charles.

Através deste último, Harry e Meghan receberam cerca de 5 milhões de libras (R$ 26,7 milhões) em 2018-2019, segundo o jornal britânico "The Guardian".

Esses números não incluem, no entanto, o custo de sua segurança e as despesas de viagens oficiais ao exterior.

O tabloide "The Sunday Mirror" diz que os duques de Sussex discutiram seus planos com o cantor Elton John antes de informar a rainha.

Já o jornal "The Times" indica que o príncipe William expressou sua "tristeza" pelo fato da família real não ser mais uma "equipe".

De acordo com o jornal, William disse a um amigo próximo: "Eu coloquei meu braço em volta do meu irmão a vida toda, mas não posso fazer isso, somos entidades separadas".