EFESantiago

A biofarmacêutica chinesa Sinovac Biotech, fabricante da vacina CoronaVac contra a covid-19, iniciou nesta quinta-feira em Santiago, no Chile, a construção de sua primeira fábrica de envase de imunizantes na América Latina.

Com capacidade para preencher e envasar 50 milhões de doses por ano, a fábrica deve ficar pronta antes de 2023 e exigirá um investimento de US$ 100 milhões, informaram fontes da empresa em uma cerimônia de lançamento.

"A Sinovac vai se dedicar a investimentos e pesquisas científicas no Chile (...) para melhorar a produção para que mais pessoas na América do Sul tenham acesso a vacinas", disse o CEO da empresa chinesa, Weidong Yin, em uma participação virtual.

A fábrica, de 22 mil metros quadrados, vai envasar frascos de vacinas contra covid-19, hepatite A e gripe, segundo a bioquímica Virginia Garretón, vice-presidente de assuntos corporativos da Sinovac Biotech Chile.

"As vacinas são fabricadas na China com o vírus original inativado, enviadas para fábricas de reabastecimento e envasadas aqui sob condições altamente seguras para distribuição", explicou ela.

SINOVAC NA AMÉRICA LATINA.

O ministro da Ciência, o imunologista Flavio Salazar, disse à Agência Efe que a instalação desta planta vis "transformar o Chile em um polo de distribuição de vacinas na América Latina".

"A centralização da produção de vacinas causa grande desigualdade em sua distribuição no caso de emergências como a covid-19", disse.

A ideia é poder avançar em direção à "criação de sistemas conectados para articular as respostas regionais e promover a integração latino-americana".

"Já estamos trabalhando nisso com Argentina, México e Brasil", declarou.

Nesta semana, a Sinovac também anunciou que alocará mais US$ 100 milhões para construir uma fábrica de produção de vacinas em Bogotá, na Colômbia, um projeto de 10 anos que terá início em 2023. EFE

pnm/id

(foto)