EFEMoscou

Os três tripulantes da nave Soyuz MS-13, que no sábado decolará rumo à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), usarão nos trajes espaciais um distintivo para comemorar os 50 anos da missão Apolo 11 à Lua, informou nesta sexta-feira o astronauta Luca Parmitano, da Agência Espacial Europeia.

"Nós três usaremos no lado direito dos trajes um distintivo dedicado à missão Apolo 11. E olharem atenciosamente, verão que é parecido com o distintivo que a tripulação original usava", disse o italiano em entrevista coletiva na base de Baikonur, no Cazaquistão.

Parmitano explicou que no distintivo estão retratados uma águia, a Lua, a Terra, e "três estrelas que se leem como o número romano 50".

O distintivo da Soyuz MS-13 não inclui os nomes dos astronautas, assim como na insígnia original, porque os seus resultados, como os da Apolo 11, "pertencerão a toda a Humanidade".

Além de Parmitano, a tripulação da nave conta com o astronauta russo Aleksandr Skvortsov e o americano Andrew R. Morgan, da Nasa. Esta será a segunda viagem de Parmitano à ISS e a primeira do astronauta americano, mas a terceira missão para o russo.

A nave decolará no sábado, às 21h28 (horário do Cazaquistão; (13h28 em Brasília), e seis horas depois se acoplará à ISS, após dar quatro voltas ao redor da Terra.

Os astronautas se juntarão à tripulação que está na ISS desde março: o russo Aleksey Ovchinin e os americanos Christina Koch e Nick Hague. Durante a estadia, a nova tripulação fará uma caminhada espacial no dia 20 de novembro e cumprirá um amplo programa de experimentos.