EFEWashington

O Banco Mundial (BM) aprovou nesta quinta-feira um empréstimo de US$ 500 milhões para apoiar a Argentina no processo de recuperação econômica, a fim de promover um crescimento inclusivo liderado pelo setor privado.

Este empréstimo, segundo um comunicado da organização, faz parte de uma ajuda orçamentária de US$ 1 bilhão cuja primeira metade foi repassada em novembro de 2018.

"O projeto acompanha a implementação de políticas públicas que promovem o crescimento inclusivo e contribuem para proteger os mais vulneráveis, com dois objetivos centrais: consolidar as bases para o crescimento liderado pelo setor privado e fortalecer as redes de proteção social e a igualdade da política tributária", afirmou o Banco Mundial em comunicado.

O diretor do BM para Argentina, Paraguai e Uruguai, Jesko Hentschel, explicou que esta ajuda financeira tem o objetivo de "proteger as famílias mais vulneráveis, diminuir os impactos inflacionários ao manter o poder aquisitivo de programas sociais e de continuar apoiando os esforços de oferecer serviços de saúde de maneira equitativa".

Além disso, o programa do BM pretende contribuir para o clima de negócios da Argentina através de medidas que "melhoram a concorrência, diminuem as barreiras ao comércio, facilitam o registro de novas empresas, fomentam o desenvolvimento dos mercados de capital e promovem a investimento privado em energias renováveis".

Outras áreas prioritárias do projeto, de acordo ao BM, são o fortalecimento da transparência e a promoção de políticas de integridade nas empresas.

O empréstimo aprovado hoje tem prazo de 32 anos para ser quitado e conta com um período de carência de 7 anos.