EFEXangai (China)

A China oferecerá mais abertura ao investimento estrangeiro em setores como finanças e manufatura avançada nos próximos anos, anunciou nesta terça-feira o primeiro-ministro do país, Li Keqiang.

"A China vai promover incansavelmente a abertura em todas as frentes", disse Li, durante discurso na abertura da reunião anual de verão do Fórum Econômico Mundial (FEM), conhecido como Davos de Verão, realizado na cidade de Dalian.

O premier afirmou que a China vai eliminar os limites de propriedade estrangeira para corretoras, operadores de futuros e seguradoras de vida até 2020, um ano antes do planejado, uma decisão que é "parte dos esforços para abrir mais indústrias financeiras e outras de serviços modernos".

Para um grupo de personalidades internacionais, o primeiro-ministro prometeu dar "tratamento nacional" às instituições financiadas com fundos estrangeiros em áreas de informação de crédito, classificação de crédito e pagamento, bem como para expandir a abertura em duas direções de mercado de títulos da China.

Li insistiu que o país será mais aberto, transparente e previsível para o investimento estrangeiro, e que seu entorno empresarial melhorará ainda mais, de modo que as restrições ao acesso de investidores estrangeiros em telecomunicações e ao transporte com valor agregado serão reduzidos.

A segunda potência econômica mundial também apoiará o investimento estrangeiro em setores como fabricação avançada, fabricação de equipamentos ou produtos farmacêuticos.

No último domingo, a China também anunciou que reduzirá, a partir deste mês, os setores e atividades econômicas submissas a restrições para os investidores e empresas estrangeiras, um dos campos de batalha das companhias do exterior presentes no gigante asiático, especialmente as europeias e americanas.