EFEPequim

A partir de 14 de fevereiro, a China vai reduzir pela metade as tarifas sobre produtos americanos como carne suína e bovina, soja e uísque, anunciou nesta quinta-feira a Comissão Tarifária do Conselho de Estado (governo chinês).

Os impostos sobre esses produtos - que também incluem alguns da indústria automóvel, frango, mariscos e químicos - serão reduzidos para 5% e 2,5%. Desde 1º de setembro do ano passado, eram cobrados 10% e 5%.

A medida, que afetará produtos norte-americanos no valor de US$ 75 bilhões em importações anuais, entrará em vigor às 13h01 (hora local; 2h01 em Brasília) do dia 14 de fevereiro.

O governo chinês garantiu que esta medida é uma resposta ao anúncio de Washington de reduzir as tarifas dos produtos chineses de 15% para 7,5%, no valor de US$ 120 bilhões, a partir da mesma data.

De acordo com um comunicado emitido pelo Ministério do Comércio, a China anunciou a decisão de "aliviar as tensões econômicas e comerciais e ampliar a cooperação", acrescentando que medidas futuras deste tipo dependeriam do desenvolvimento das relações entre os dois países.

Para o jornal de Hong Kong "South China Morning Post", este é "um sinal de que a China está implementando a primeira fase do acordo comercial com os Estados Unidos (assinado em 15 de janeiro), apesar do surto de coronavírus".

Estados Unidos e China estão envolvidos em uma guerra comercial desde março de 2018, que aumentou a tensão entre os dois países com várias ramificações além da economia.