EFENova York

O índice Dow Jones Industrial fechou nesta terça-feira em leve baixa de 0,12%, um resultado que contrasta com a volatilidade de um pregão no qual chegou a somar 900 pontos, mas perdeu força devido à preocupação dos investidores com a pandemia de Covid-19.

O principal indicador da Bolsa de Nova York perdeu 26,13 pontos, ficando com 22.653,86. As quedas mais acentuadas foram das ações de Boeing (-4,77%), Procter & Gamble (-4,33%) e Walmart (-3,24%).

O seletivo S&P 500 caiu 0,16%, para 2.659,41 pontos, e o índice composto da bolsa eletrônica Nasdaq recuou 0,33% e fechou aos 7.887,26.

De acordo com alguns analistas do mercado, o resultado de hoje pode ter tido como base a avaliação de que os preços das ações se adiantaram a uma realidade econômica mais complicada, com possíveis dificuldades além do segundo trimestre.

"O risco de queda é maior do que a oportunidade de alta a partir deste momento", disse David Kostin, estrategista de ações do Goldman Sachs, à rede de televisão "CNBC", lembrando que o mercado não se recuperou da crise financeira de 2008 antes de março de 2009.

As ações tiveram ganhos significativos hoje cedo, quando os investidores se concentraram em notícias positivas em relação à Covid-19, especialmente uma possível desaceleração do número de infecções nos EUA e na Europa.

Alguns analistas começam a prever uma recuperação econômica nos Estados Unidos até o final do último trimestre de 2020 e que poderia se consolidar ao longo de 2021, o que significaria significativas oportunidades de investimento na bolsa agora.

A consultora Yardeni chegou ao ponto de dizer em informativo a seus clientes que é provável que o mercadp esteja se reequilibrando e que os investidores parecem estar se afastando dos títulos mais seguros e voltando para as ações.

No horário de fechamento da bolsa, a onça do ouro caí para US$ 1.682,70, e a rentabilidade dos treasuries com vencimento em 10 anos subia para 0,736%.