EFEMadrid

O Banco Santander concluiu na Espanha o Expediente de Regulação de Emprego (ERE), com 3.572 saídas de funcionários, sendo 99,5% já previstas anteriormente, além de 19 demissões, segundo informaram fontes da maior central sindical do país europeu (CCOO).

De todos que deixaram a instituição nesse processo, 70% são maiores de 50 anos de idade, de acordo com a entidade.

Além disso, o Santander fechou cerca de mil escritórios em todo o país.

De acordo com a CCOO, praticamente todo o ERE da instituição bancária foi feito de maneira voluntária. Os mais afetados no processo foram os funcionários dos setores "administrativo e operativo".

Alguns, inclusive, serão realocados em empresas do grupo ou no Santander Personal, uma rede de serviços especializados voltados para pessoas de alta renda.

Das 3.572 baixas no corpo de funcionários, 109 são de pessoas que atuavam no Centro Corporativo, enquanto o restante é da rede de escritórios Santander Espanha.

No primeiro semestre deste ano, o Santander fechou com lucro de 3,675 bilhões (R$ 40,65 bilhões) em todo o mundo, em contraste com o ano anterior, em que as perdas foram de quase 10,8 bilhões (R$ 65 bilhões).

Além da sede na Espanha e presença no Brasil, o Santander também está em países como Estados Unidos, Reino Unido, México, Chiles, Argentina, Uruguai, Colômbia e Peru.