EFEWashington

O Trump International Hotel, propriedade do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, superou as previsões e obteve um lucro de US$ 2 milhões em apenas quatro meses, transformado em um centro de poder na capital do país.

Documentos publicados nesta sexta-feira pela Administração de Serviços Gerais (GSA, um organismo estatal) mostram que a Trump Organization, da qual o presidente Donald Trump se desvinculou administrativamente, esperava perdas de pouco mais de US$ 2 milhões nos primeiros quatro meses de 2017.

Mas o hotel, que se transformou em um centro de lobby, conseguiu lucrar US$ 1,97 milhão, com investimentos de US$ 18 milhões.

Grande parte do sucesso de hotel, inaugurado por Trump em outubro do ano passado, em plena campanha eleitoral, se deve ao fato de que conseguiu elevar as tarifas dos quartos em 57% a mais da média do previsto.

O preço médio de uma noite no requisitado Trump International Hotel é de US$ 652,98, o que o transforma no hotel mais caro da capital americana.

"Estamos muito orgulhosos com o sucesso do projeto", assegurou ao jornal "The Washington Post" Eric Trump, filho do presidente que, junto com o seu irmão Donald Jr., opera a empresa após a saída do seu pai da gestão ao assumir a presidência em janeiro.

O estabelecimento, situado perto da Casa Branca, se tornou um centro de poder em Washington, ao ser escolhido por dignatários e diplomatas estrangeiros e organizações conservadoras ou cristãs para realizar encontros ou eventos.

O hotel prometeu doar ao Departamento do Tesouro americano todo o dinheiro depositado por governos estrangeiros para evitar problemas com as leis de ética e influência estrangeira.

No entanto, a oposição democrata no Congresso criticou o governo, que é o arrendador do edifício, pelo que consideram uma grave falta de ética e de independência da presidência dos interesses econômicos.