EFETóquio

O governo do Japão decidiu retirar as restrições ainda aplicadas sobre a importação de carne bovina dos Estados Unidos desde o surto de Mal da Vaca Louca que afetou o rebanho americano em 2003, uma medida tomada em meio às negociações de um acordo comercial entre os dois países.

O Ministério do Trabalho, Saúde e Bem-Estar do Japão tomou a decisão após a Comissão Nacional de Segurança Nacional avaliar que já não existe risco para a compra dos produtos americanos.

A medida permitirá que os exportadores americanos vendam ao Japão carne de bovinos com idade superior aos 30 meses. A única condição é que eles retirem as partes do animal propensas a conter os agentes causadores da encefalopatia espongiforme transmissível, doença conhecida como o Mal da Vaca Louca.

A Irlanda e o Canadá também serão beneficiados com o fim das restrições, aplicadas pelo Japão desde 2003.

O Japão optou por abrir o mercado à carne americana enquanto negocia com o governo de Donald Trump um acordo comercial. A Casa Branca também quer ampliar o acesso de outros produtos agrícolas.

O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdeu, comemorou a decisão do governo do Japão. Segundo ele, as exportações de carnes bovinas americanas devem crescer US$ 200 milhões no ano.

Também como parte das negociações comerciais, o governo de Trump anunciou hoje que adiará por seis meses uma possível imposição de tarifas sobre a importação de veículos japoneses e europeus.