EFESantiago (Chile)

A Latam registrou um prejuízo líquido de US$ 60,1 milhões no primeiro trimestre de 2019.

Os resultados foram divulgados pela empresa nesta quinta-feira e são ainda maiores se comparados ao lucro de US$ 92,2 milhões obtidos pela Latam no mesmo período do ano passado.

A margem operacional foi de US$ 82,1 milhões no trimestre, chegando a 3,3%. Isso ocorreu, segundo a empresa, devido à queda no faturamento, motivada pela desvalorização de moedas locais, o que influenciou a demanda por passagens, especialmente na Argentina.

A receita total da Latam no acumulado de 12 meses caiu 7,5%, para US$ 2,52 bilhões. O faturamento com passageiros recuou 6,5% e o com cargas 10,9%, queda também provocada por questões cambiais que diminuíram as importações, especialmente de Brasil e Argentina.

Por outro lado, a companhia aérea reduziu os custos operacionais nos últimos 12 meses em 0,7%. Se descontadas as despesas com combustíveis, os custos caíram 2,6% no mesmo período.

A direção da Latam afirmou que o primeiro trimestre de 2019 apresentou condições de mercado mais desafiantes que o previsto.

"A demanda por viagens internacionais na Argentina se deteriorou como consequência da desvalorização do peso, enquanto continuamos vendo um excesso de capacidade nas rotas internacionais desde e para o Brasil", afirmou a empresa em comunicado.

"Isso foi amplificado pela desvalorização de outras moedas latino-americanas, como o real, o peso chileno e o peso colombiano, que pressionaram os rendimentos cotados em dólares", continuou.

Apesar do desafiante contexto macroeconômico, a Latam ressaltou que continua progredindo em iniciativas estratégicas e de redução de custos, que, segundo a empresa, seguem com resultados positivos.

"Transportamos mais de 18 milhões de passageiros durante o primeiro trimestre, 800 mil a mais que no mesmo período do ano passado. As iniciativas de redução de custos continuam sendo uma prioridade para a Latam e nos ajudarão a enfrentar um primeiro semestre do ano desafiante", afirmou a empresa na nota.

A Latam ainda afirmou que os mercados domésticos sul-americanos continuam oferecendo oportunidades atrativas de crescimento. A empresa considera que o modelo de tarifas implementado em 2017 permitiu concorrer de maneira eficiente com empresas de baixo custo.

"Como resultado, continuamos levando mais passageiros e aumentando a geração de receitas. O plano de expansão anunciado para a segunda metade do ano de 2019 na Colômbia e as melhorias de conectividade da Latam no Peru, especialmente em Lima, são exemplos do crescimento potencial que a companhia identificou nesses mercados", concluiu a empresa.