EFEMiami

A Mastercard anunciou, nesta quinta-feira, uma parceria com cinco empresas líderes em serviços financeiros e tecnologia na América Latina, de modo a acelerar a inclusão digital e financeira em uma região onde quase a metade da população adulta é desbancarizada.

"É um acordo sem precedentes no setor privado", disse à AgÇencia Efe Kiki Del Valle, vice-presidente sênior de Alianças Digitais da Mastercard para América Latina e Caribe, ao falar de "Tech for Good Partnership" e do compromisso com a inclusão financeira que a companhia de tecnologia de pagamentos tem há muitos anos.

A iniciativa da multinacional é guiada pelo princípio de que "fazer o bem tem resultados positivos para as empresas", explicou Del Valle, que acredita que a inclusão financeira beneficia a sociedade, reforçando a economia formal e criando oportunidades de emprego.

"A tecnologia tem o poder de mudar a realidade de milhões de pessoas e empresas que não estão preparadas para enfrentar os desafios de hoje", disse Carlo Enrico, presidente da Mastercard na América Latina e no Caribe.

Enrico destacou a importância de reunir "as melhores mentes, recursos e esforços com um enfoque singular: construir uma economia inclusiva na região, o que pode mudar as regras do jogo para muitos".

A Mastercard buscou este esforço conjunto com Bancolombia, Banco Galicia, Citibanamex, Mercado Livre e PayPal, conscientes de que o setor privado precisa e pode fazer mais para impulsionar a inovação para aqueles que estão fora do sistema financeiro.

As empresas unirão tecnologias e conhecimentos para que ninguém seja deixado para trás na economia digital. Além disso, libertarão milhares de pessoas da dependência serviços de remessas e empréstimos informais, analisou Enrico.

Segundo dados de 2017, 45% da população adulta da América Latina, entre 200 e 220 milhões de pessoas, não tinha contas bancárias. Só a África tem uma taxa de penetração bancária mais baixa.

UMA PARCERIA PARA O BEM.

Embora tenha entidade própria e independente, a associação "Tech for Good Partnership" vai ser "chave" para a Mastercard atingir o objetivo de ter incorporado 1 bilhão de pessoas ao mundo financeiro até 2025.

Metade da meta já foi alcançada. Entre 2015 e o início de 2020, a empresa contribuiu para a inclusão financeira de 500 milhões de pessoas em todo o mundo.

Mas a Mastercard também tem o desafio de trazer 50 milhões de micro e pequenas empresas para a economia digital até 2025. Como parte deste esforço, fornecerá a 25 milhões de mulheres empresárias soluções para ajudar no crescimento dos negócios.

Os parceiros do "Tech for Good Partnership" estão empenhados em utilizar recursos, bens e conhecimentos para priorizar os esforços de inclusão digital e financeira em meio à pandemia de Covid-19.

Na primeira fase, eles se concentrarão em desenvolver iniciativas concretas em mercados específicos para expandir serviços financeiros básicos, como acesso ao crédito, ajuda financeira e ferramentas e recursos educacionais para os milhões de latino-americanos atualmente vulneráveis.

Com o tempo, compartilharão as melhores práticas e os resultados da iniciativa com a indústria de serviços financeiros de forma mais ampla para a melhora do ecossistema, através de eventos virtuais, publicações, entre outros.

A vice-presidente sênior regional de Alianças Digitais sublinha que novos produtos como aplicativos bancários e carteiras digitais podem emergir desta aliança.

ACESSO, UTILIZAÇÃO E SEGURANÇA.

Na opinião de Del Valle, o mais importante é que esta aliança vá "mais além", tornando o sistema financeiro acessível a um maior número de pessoas na América Latina, já que pode proporcionar, tanto a pessoas como negócios, "um futuro bem-sucedido" e "segurança" nas operações.

O 'boom' tecnológico observado na América Latina nos últimos anos se tornou um facilitador para o acesso a produtos e serviços durante o período de confinamento, mas muitas microempresas ainda não têm a capacidade de vender online.

A parceria trabalhará em formas de desenvolver programas de resiliência digital para as milhões de micro e pequenas empresas que não têm a capacidade de voltar a operar.

De acordo com o estudo da Mastercard, o comércio eletrônico tem crescido exponencialmente na América Latina: 54% dos colombianos, 52% dos brasileiros e 46% dos mexicanos indicaram que têm a intenção de comprar mais online.

O Centro de Crescimento Inclusivo da Mastercard também apoiará os esforços de inclusão financeira na América Latina realizados pelos integrantes da "Tech for Good Partnership". EFE

ar/vnm

(foto)