EFECidade do México

O governo do México comemorou nesta sexta-feira a decisão dos Estados Unidos de deixar de cobrar tarifas sobre a importação de aço e alumínio produzidos no país e disse que a medida abre as portas para ratificar o T-MEC, que substituirá o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta).

"Recebemos com grande entusiasmo a decisão do presidente Trump de eliminar as tarifas impostas ao México e ao Canadá. Essa ação abre o caminho para avançar na ratificação do T-MEC", publicou no Twitter o subsecretário para a América do Norte do México, Jesús Seade.

Em comunicado, a presidência do México explicou que chegou a um acordo com os EUA para a retirada das tarifas sobre o aço e o alumínio mexicanos. Por outro lado, o país se compromete a eliminar as medidas adotadas como represália às taxas americanas.

Mais cedo, a Casa Branca anunciou um acordo similar com o Canadá. Os três países se comprometeram também a retirar processos abertos na Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre o caso.

Em discurso realizado em um evento com agentes imobiliários nos EUA, Trump confirmou o acordo com os governos de México e Canadá, afirmando que espera que a medida abra caminho para a ratificação.

"Espero que o Congresso aprove o T-MEC em breve para que nossos agricultores tenham ainda mais sucesso", ressaltou Trump.

Em maio do ano passado, Trump iniciou uma guerra comercial ao impor tarifas sobre a importação de aço e alumínio da União Europeia, do Canadá e do México.

Como resposta, o então presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, suspendeu o tratamento tarifário especial concedido a uma ampla variedade de mercadorias compradas pelo país dos EUA. Produtos agrícolas americanos, por exemplo, foram taxados em até 25%.

Desde então, o governo do México reiterou que as tarifas deveriam ser suspensas antes de o T-MEC entrar em vigor. A mesma postura foi adotada pelo primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau.

"O México não é uma ameaça à segurança nacional dos EUA. As importações que eles fazem de alumínio e aço do México são menores que as importações que nós fazemos", disse em recente entrevista a subsecretária de Comércio Exterior do México, Luz María de la Mora.