EFECaracas

O bolívar, a moeda oficial da Venezuela, caiu 15,16% em relação ao dólar nos últimos sete dias - agora, cada dólar vale 21.659 bolívares.

Na cotação oficial do Banco Central da Venezuela, a moeda americana valia 19.374 bolívares na última segunda-feira.

Os valores são muito inferiores aos registrados no mercado paralelo, considerado ilegal pelo regime de Nicolás Maduro, no qual o bolívar se desvalorizou 38,88% em relação ao dólar nos últimos sete dias.

Considerando o câmbio oficial, o salário mínimo mensal venezuelano passou a valer US$ 6,92 (R$ 27,62, na cotação de hoje), o que condena os 3 milhões de funcionários públicos e os 5 milhões de aposentados que recebem esse valor à miséria.

A ONU considera que pessoas que recebem menos de US$ 1,25 (R$ 4,99) por dia vivem em situação de extrema pobreza, caso dos 8 milhões de venezuelanos que dependem do salário mínimo pago pelo governo chavista.

A desvalorização amplia ainda mais a perda do poder de compra do bolívar. Apesar de ser a única moeda do país, pequenos comerciantes e prestadores de serviços estão exigindo dólares para atender a população venezuelana.

Em 2018, o dólar passou, na cotação oficial, de 10 para 63.818.000 bolívares antes da conversão monetária que suprimiu cinco zeros da moeda local. Desde então, a divisa americana seguiu se valorizando, pulando dos 638,18 bolívares por dólar para os 21.659 atuais.

Maduro flexibilizou o controle cambial existente no país desde 2003, em uma tentativa de arrecadar mais dinheiro para o governo, afetado pela queda da produção da indústria petrolífera, a principal fonte de receitas do país.