EFENova York

Wall Street teve uma quarta-feira com saldo positivo em seus três indicadores, com destaque para um novo recorde do Nasdaq Composite, o quarto nos últimos dias de negociações, sem que os altos números de casos diários de contágio pelo novo coronavírus nos Estados Unidos afetasse o otimismo dos investidores.

O índice composto da bolsa eletrônica Nasdaq subiu 1,44% e chegou à marca histórica de 10.492,50 pontos, especialmente graças às valorizações dos títulos como os de Apple (2,33%), Microsoft (2,2%), Netflix (1,95%) e Amazon (2,7%).

O Dow Jones Industrial, mais influente índice da Bolsa de Nova York, avançou 0,68%, para 26.067,28 pontos, e o seletivo S&P 500 fechou em alta de 0,78%, aos 3.169,94.

O pregão nova-iorquino ganhou força na última hora, após um dia dominado pelo assunto coronavírus, que somou 60 mil contágios em todo o país na terça-feira, chegando a três milhões de casos e 131 mil mortes, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Os investidores aguardam o começo não oficial da temporada de resultados do segundo trimestre, para a qual é esperada uma queda de 43,8% dos lucros em relação ao mesmo período de 2019, segundo a Factset. Esses poderão ser os piores resultados desde a crise financeira de 2008.

Entre as 30 empresas cotadas no Dow Jones, lideraram as altas Apple e Microsoft, Walt Disney (2,67%), Nike (1,82%), Goldman Sachs (1,45%), JPMorgan Chase (1,06%) e Home Depot (0,74%). As maiores baixas foram de Dow (-3,21%), Walmart (-1,98%) e Merck (-1,02%).

No horário de fechamento da Bolsa de Nova York, a onça do ouro subia para US$ 1.817,90, e o rendimento dos treasuries com vencimento em 10 anos avançava para 0,659%.